Coronavírus se espalhou mais devagar do que o H1N1

Coronavírus
Microscópio mostra amostra de primeiro caso do coronavírus Sars-Cov-2 nos EUA, isolado em laboratório. — Foto: Hannah A Bullock; Azaibi Tamin/CDC

A comparação entre o total de países afetados na pandemia causada pelo H1N1 e na atual epidemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) mostra que a Covid-19 teve número 41,8% inferior de territórios afetados.

O cálculo considera igual período de dois meses no começo da circulação de cada vírus.

H1N1 e Sars-CoV-2, em dois meses:

Países com apenas 1 caso:

  • 16 de 110 na gripe A (14,5%)
  • 19 de 64 no novo coronavírus (29,6%)

Países com mais de 50 casos:

  • 39 de 110 na gripe A (35,4%)
  • 9 de 64 no novo coronavírus (14%)

Concentração em países:

  • Coronavírus – 95% dos casos na China
  • H1N1 – 63% dos casos nos Estados Unidos, Canadá e México

Por outro lado, se o novo coronavírus alcançou mais países do que a pandemia de H1N1, ele infectou mais pessoas, concentradas principalmente na China nos últimos dois meses.

Da mesma forma, o H1N1, responsável pela gripe A, teve 55.867 casos entre 24 de abril e 24 de junho de 2009, contra mais 88.948 pessoas doentes pelo 2019 n-CoV desde 31 de dezembro deste ano até 2 de março.

Anteriormente, a epidemia do H1N1 começou no interior do México, tendo o primeiro boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS) em 24 de abril de 2009. Sessenta dias depois, o Brasil tinha 334 casos, mas nenhuma morte.

O primeiro registro no país ocorreu em 8 de abril daquele ano, 15 dias depois do início do monitoramento do órgão de saúde da ONU.

No caso do coronavírus, 62 dias depois do alerta que apontou o surto na China, o Brasil tinha 2 casos confirmados.

Com informações de: G1

Comente com Facebook