Sedentarismo provocado pelo home office é risco para saúde das pessoas

Sedentarismo provocado pelo home office é risco para saúde das pessoas

As restrições impostas pela pandemia mostraram que o sistema home office pode ter vindo para ficar. O sistema passou a ser adotado desde março do ano passado, por oferecer maior segurança aos colaboradores com relação ao coronavírus, e pela economia de recursos que gerou às empresas.

Um levantamento divulgado pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), identificou que desde março de 2020 cerca de 7,3 milhões de brasileiros trabalham remotamente, contabilizando cerca de 9,1% da população ocupada e não afastada.

Além disso, as ofertas de trabalho para regimes flexíveis aumentaram 309%. Com isso, a adoção do home office vai gerando novos hábitos, que podem levar à incidência de complicações físicas envolvendo áreas do corpo.

“A falta de atividade física é um dos fatores que levantam certa preocupação em relação aos cuidados durante o home-office. O cenário pandêmico eliminou temporariamente a necessidade de locomoção ao trabalho que, para muitos, envolvia breves caminhadas que contribuem para a manutenção do sistema musculoesquelético”, explica Danillo Santana, Coordenador Geral da Rede Alpha Fitness.

Além da extinção destes pequenos momentos de atividade física, a utilização de ambientes residenciais como escritório gera situações ergonomicamente desfavoráveis. A maioria das residências não são preparadas para atender as necessidades de longos períodos sentado, trabalhando em frente ao computador.

Às vezes também estas pessoas preferem realizar suas tarefas na cama ou no sofá, com o notebook no colo, permanecendo um tempo grande em posturas inadequadas. “A posição sentada é a mais adotada nos ambientes de trabalho, porém a manutenção prolongada deste hábito ocasiona a adoção de posturas inadequadas e a sobrecarga de determinadas estruturas corporais, o que pode levar a dores no pescoço, lombar, dorsal, braço, antebraço, mãos, entre outras regiões”, acrescenta Danillo.

O mais importe é criar novo hábitos, para que a pessoa possa desenvolver seu trabalho sem prejudicar a saúde. O alongamento, de forma geral, auxilia a manter a musculatura ativa, também melhora o fluxo sanguíneo, ajuda na mobilidade das articulações e elasticidade dos músculos, fazendo com que sinta menos desconfortos e dores ao final da jornada de trabalho.

“Procure se levantar da cadeira a cada 45 ou 60 minutos, mesmo que brevemente; em alguns momentos para andar e em outros para alongar-se. Isso auxiliará especialmente o sistema circulatório”, diz o especialista da Rede Alpha Fitness.

Além disso, procure se manter ativo quando não estiver trabalhando: dance, caminhe pela casa, suba escadas, espreguice-se todos os dias ao acordar, realize séries de respirações profundas e longas, pratique jardinagem, faça arrumações na casa, ou seja, procure se movimentar minimamente.

Se exercitar ajuda na administração do estresse, na promoção de um sono mais tranquilo, na liberação de endorfinas e promoção de emoções positivas, que mais do que nunca têm sido fundamentais.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de Pipa Comunicação

Comente com Facebook