Whitney Houston: Autoridades americanas ainda não chegaram a consenso sobre causa da morte

Enquanto o mundo vasculhava as redes sociais atrás de notícias da diva pop Whitney Houston, morta no sábado, a jovem Bobbi Kristina, de 18 anos, teve de ser retirada do hotel Beverly Hilton, em Los Angeles, em cima de uma maca. Ela queria ver pela última vez a mãe, mas a polícia não a deixou entrar no quarto onde o corpo de Whitney estava.

A jovem foi internada duas vezes desde a morte da mãe. Da primeira vez, no sábado, chegou a gritar com os policiais. “Ela tentou afogar a dor de perder a mãe bebendo”, contou uma pessoa da família ao site “Radar Online”, a respeito da primeira internação: “Ela estava perturbada, na iminência de um colapso”.

Por causa da internação da filha, o rapper Bobby Brown chegou a cancelar seu show de ontem. Em uma apresentação em Mississipi, no sábado, o rapper declarou seu amor à ex-mulher: “Eu te amo, Whitney”, disse à plateia. O relacionamento dos dois se desfez em 2007, após sucessivos escândalos, com agressões físicas e consumo de drogas.

A causa da morte da estrela só será definida quando os exames toxicológicos ficarem prontos, em, no máximo, seis semanas. O corpo da cantora foi encontrado na banheira do quarto onde estava hospedada, no Beverly Hilton. A principal suspeita é que ela tenha consumido Xanax, prescrito para ansiedade e depressão, dormido e se afogado na banheira.

A polícia foi contactada às 15h43m de sábado (21h43m de Brasília). Paramédicos que estavam no local por causa da cerimônia do Grammy, ocorrida na noite de ontem, não conseguiram reanimá-la.

Na festa do Grammy, foram feitas homenagens a Whitney. Coincidentemente, a série “Glee” vai lembrá-la, na TV americana, com a apresentação de “I will always love you”, clássico do filme “O guarda-costas”.

Fãs de Whitney terão uma última chance de vê-la nas telonas em setembro. O filme “Sparkle” mostra o drama de trio musical e problemas derivados com a fama e as drogas.

EXTRA

Comente com Facebook