Tom Cavalcante escreve texto emocionante ao amigo Chico Anysio

Chico Anysio e Tom Cavalcante

Tom Cavalcante (49) aproveitou a liberdade das redes sociais para publicar um texto emocionante em homenagem ao amigo Chico Anysio (80), que está internado desde o dia 30 de novembro. A mensagem foi publicada nesta segunda-feira, 27, e você pode lê-la na íntegra aqui:

“Hoje quero falar do meu amigo e mestre Chico Anysio. Um dos dez mais importantes cômicos do planeta. Espero poder passar para vocês o tamanho da importência desse artista tão diferenciado.Segue um depoimento antes de mais nada de um admirador e de um amigo. Que o meu coração e minha alma estejam iluminados e a altura para expressar o que sinto por tão nobre ser humano.
Os dias estão passando, o mês de fevereiro já se finda e as notícias que nos chegam através de Malga di Paula, sua esposa e incansável companheira, é de que o guerreiro Chico luta de todas as maneiras para se manter vivo nessa dolorosa e árdua travessia pela vida. Uma luta que parece não ter fim. Meses de internação e intervenções cirúrgicas. Um deserto de dor e lamento que só os fortes e iluminados têm a capacidade de suportar.
Nós amigos e apaixonados que somos por esse cara, a todo instante rogamos a Deus que tudo pode na sua onipotência e onisciência para as nossas mais humildes formas de oração tirar o nosso amigo desse pesadelo.pedimos a todo instante  o Espírito Santo para que intervenha dando o alívio na busca de sua cura. Da aquela ajuda Sr., ao nosso amado Chico. Anjos do bem tragam-no de volta ao nosso convívio.
A realidade da existência humana não é fácil não. Tudo é bem mais complexo. Somente a fé pode modificar esse jogo e essa eu busco te-la ao meu lado diariamente.
Aprendi com o cidadão Chico Anysio a ser pragmático, olhar a vida de frente sem dobrar os joelhos diante das difilcudades. Aprendi a olhar o mundo ao meu redor, tentando filtrar o que realmente são problemas e o que pode ser relevado em benefício da saúde do corpo e da alma. Ou seja, tentar saltar a fogueira sem se queimar muito. Na corrida pelo sucesso aprendi que nas derrotas devemos saber perder com dignidade e nas vitórias ganhar com humildade. Aprendi a cultuar o amor e a dividir a cena com o próximo. Seja na vida profissional ou na vida pessoal. Chico fez isso a vida toda. Mesmo no leito de um hospital dezenas de pessoas continuam sendo befeciadas por conta de sua generosidade franciscana. A cada dia procuro ser protagonista desses sagrados ensinamentos que foram frutos de uma longa convivência.
Hoje me bateu aquela saudade, Chico. Saudades das nossas viagens pelo país apresentando o nosso hilário espetáculo ‘chico.tom.’ Sucesso de público e bilheteria. A cada show você, antes de entrar em cena, fazia a sua oração invocando os anjos que te dessem força e alegria para encarar mais uma plateia. Eu ficava ali na coxia só te filmando e rindo dos teus improvisos cheios de graça. Por falar nisso, você me ensinou também:
(T) Chico – Improviso, Tom, é o caminho mais curto para o erro. Por isso quando for fazê-lo, cuidado.
A trajetória desse homem para aqueles que o conhecem de perto e sua obra é algo quase indizível de tão fabulosa. O seu extraordinário trabalho no rádio,na tv,no teatro e no cinema se confundem com a história da comunicação do Brasil. Um legado sem precedentes. Os mais jovens que se interessarem por sua obra vão encontrar textos, peças teatrais, livros, quadros lindos pintados por ele que falam ao coração das belezas do mar, uma de suas maiores paixões. Milhares de programas de tv que tiveram papel fundamental na liberdade de expressão de nossa gente.
Um compêndio dos mais valiosos já produzidos. Sua inteligência rara, seu humor afiado e cortante promoveram a quebra de tabus no período da ditadura. Um verdadeiro artesão do humor que com sua capacidade rompeu e castigou costumes. Perigosos desafios para um artista do povo… como falar em um texto dos mais de 200 personagens com voz própria, gestual, manias, figurinos e função social criados pelo mago. Só mesmo num volumoso registro.
Devemos muito a você, Chico. A história nos mostra… Quem imaginaria em tempos de ditadura levar para a tv a personagem Salomé chamando atenção do temido e arrogante general Figueiredo então presidente da república? Só mesmo um artista tão consistente.

Este homem que luta de todas as maneiras pela vida, dono de uma fortaleza inimaginável está fragilizado mas com muita vontade de sair daquela cama. Não duvidem de sua capacidade de recuperação. Ele nos surpreenderá mais uma vez. Força ele tem para ganhar mais essa de goleada. Eu,o Brasil e a torcida do seu amado Vasco estaremos esperando confiantes.
No exemplo de Chico, nosso querido mestre está uma liçao que deve ser seguida por tantos quantos lerem esse meu texto: desistir nem pensar. Por maiores que sejam as provações. Mesmo quando a alegria estiver cabisbaixa. No exemplo de Chico estão os códigos vitais da vida. Lutar, lutar, amar, amar. Te amo muito, mestre”.

 

CARAS

Comente com Facebook