Beleza e estética: 5 dicas para ajudar na gestão dos estabelecimentos a retomada dos negócios

Especialista do setor de beleza explica como organizar as clínicas de estética e manter a segurança dos clientes.

Com a quarentena, o setor de beleza sofreu baixas significativas nos faturamentos desde março, mês em que se iniciou o isolamento social no Brasil. Segundo pesquisas realizadas pela Nielsen Media Research, o setor de beleza teve queda de 36% na renda, apenas no mês de março. 

João Dória, governador do estado de São Paulo, decretou em pronunciamento oficial realizado em 26 de junho, que salões de beleza e clínicas de estética poderão reabrir a partir do dia 6 de julho, em retomada gradual às atividades e respeitando os protocolos de segurança. Aline Caniçais, fisioterapeuta dermato funcional da HTM Eletrônica – empresa pioneira na fabricação de aparelhos estéticos – dá dicas de como ajudar na gestão dos estabelecimentos com a volta dos serviços de beleza e estética. 

1. Respeite os protocolos de segurança

Os protocolos de segurança variam de acordo com cada região do país. Porém são essenciais para manter o negócio em funcionamento, além de, é claro, manter todos os funcionários e clientes saudáveis. Algumas das recomendações são: capacidade de apenas 40% da lotação, distância de dois metros entre os ocupantes e funcionários e clientes com com os equipamentos de proteção individuais, chamados EPIs, como máscaras, luvas, jaleco, entre outros. 

2. Mantenha a higienização do local e dos frequentadores

A limpeza do estabelecimento é um dos tópicos mais importantes. Para a segurança de todos, recomenda-se uma limpeza há cada duas horas. Também é indicado o fornecimento de álcool gel para os frequentadores do local. O álcool 70% é o indicado, pois é atua na prevenção da COVID-19. 

3. Mantenha o contato com os clientes por canais virtuais

Como a retomada do setor será gradual, com apenas 6 horas de funcionamento e capacidade de 40% de clientes, é importante continuar estimulando quem necessita dos serviços, por canais de comunicação virtuais. Dessa forma, o usuário dos serviços segue estimulado a realizar os procedimentos e se programa de forma segura e acessível, tanto para ele, quanto para o estabelecimento. 

4. Estimule a base de clientes

Com as medidas de segurança e a dificuldade em atingir novos públicos de modo presencial, clientes fidelizados podem ser ótima solução para as contas não fecharem no vermelho. Estimular que eles continuem consumindo os serviços oferecidos, atraindo-os não só pela qualidade e pelo o que já conhecem, faz com que a divulgação seja positiva e, quando a situação acalmar, novos clientes poderão aderir aos serviços. 

5. Invista em promoções

A crise causada pela pandemia, afetou diversos setores da economia e, por isso, muitas pessoas estão passando por dificuldades financeiras. Promoções podem atrair público que sente necessidade de realizar os procedimentos, porém não tem condições de pagar muito por isso. Entretanto, essa ação tem que ser feita com cuidado para que não prejudique o estabelecimento. 

Fonte: Namidia News

Comente com Facebook