Atriz Tássia Camargo relembra morte da filha e critica Record: “não volto nunca mais”

RTEmagicC_d76684ac79.jpgUma das atrizes mais marcantes da televisão nos anos 90 e 2000, Tássia Camargo não atua desde 2007, quando resolveu se dedicar ao teatro. De acordo com a coluna de Patrícia Kogut, ela brilhou em peças como “Uma lição longe demais” e “Se você me der a mão”, mas cogita retornas às telinhas.

Tássia, que hoje também é professora da escola de teatro CAL, diz que as pessoas ainda param ela na rua. “Tanto nas ruas como nas redes sociais, as pessoas me param e me perguntam o que eu estou fazendo. É engraçado porque parece que se você não está na tela, não está fazendo nada. Mas eu nunca parei de trabalhar”, conta ela, que está preparando uma nova peça baseada em um texto de Eugène Ionesco.

Briga com a Record
Embora sonhe em voltar à TV, Tássia garante que, quando isso ocorrer, ela jamais voltará para a Rede Record, última emissora na qual trabalhou, quando atuou em “Vidas opostas”. “Não quero voltar para lá por nada”, garantiu ela, que chegou a mover um processo por direitos trabalhistas contra a emissora. “Ficar fora da TV foi uma coisa que aconteceu normalmente. Alguns diretores falaram comigo, mas não fechei nada com ninguém”, contou ela, que admitiu que voltaria à Globo.

Dor da perda
Outro sonho de Tássia é escrever um livro. Ela já começou a sua autobiografia, onde relembra a morte da filha. A atriz perdeu a pequena Maria Júlia quando ela ainda tinha apenas 2 anos. A menina morreu em 1996, vítima de rubéola.

“Parei de contar quantos anos ela teria. Na minha cabeça, ela aparece com dois anos. Sempre que vejo uma criança, penso ‘podia ser minha filha’. Tem dias que falo normalmente sobre isso, mas em outros – que estou mais sensível – não dá para comentar”, desabafou ela, que faz parte de um grupo de apoio para pessoas que perderam os filhos.

Correio

Comente com Facebook