Uso de maconha aumenta a dor após cirurgias e exige mais anestesia, diz estudo

Maconha
Planta de maconha (Foto: Marcelo Brandt/G1)

Se você acha que fumar ou ingerir derivados de maconha ajuda a controlar todos os tipos de dor, reveja seus conceitos.

De acordo com uma pesquisa publicada nesta segunda-feira (5), usar maconha antes de ir a um hospital para um procedimento cirúrgico pode piorar significativamente a dor durante a recuperação.

“Há algumas evidências de que a cannabis pode ser benéfica para dores crônicas e neuropáticas. No entanto, pesquisas iniciais sugerem que este não é o caso da dor aguda, como nas que ocorrem durante a cirurgia de uma perna fraturada”, exemplificou o autor principal do estudo, doutor Ian Holmen, residente em anestesiologia do Hospital da Universidade do Colorado em Aurora, em um comunicado.

Além de um aumento na dor aguda, as pessoas que usaram maconha (cannabis sativa) antes da cirurgia também precisaram de mais anestesia (submeter-se à anestesia pode ser arriscado para algumas pessoas, como idosos ou pacientes com doenças crônicas como diabetes) e usaram mais opioides durante a recuperação.

“O estudo mostra que é importante para os pacientes informarem ao médico anestesista se eles usaram produtos derivados de cannabis antes da cirurgia, para garantir que recebam a melhor anestesia e controle da dor possível, incluindo o uso de alternativas não opioides”, explicou Holmen.

O estudo foi apresentado na reunião anual da Sociedade Americana de Anestesistas nesta segunda. Ele comparou pacientes submetidos a cirurgia para uma perna quebrada – que disseram ter usado cannabis antes da operação – com aqueles que disseram que não usaram.

O tipo e o método de uso da maconha não foram conhecidos, nem a frequência com que o paciente usava maconha.

Aqueles que relataram usar maconha receberam 58% a mais de opioides por dia enquanto estavam no hospital. Eles relataram níveis maiores de dor em uma escala de 1 a 10. Além disso, necessitaram de 12,4 mililitros adicionais de anestesia durante a cirurgia do que aqueles que não usaram maconha.

Durante a cirurgia, um anestesista aumentará a dosagem se observar “movimentos involuntários do corpo, aumento da frequência cardíaca, hipertensão ou aumento da frequência respiratória”, concluiu o estudo, enumerando os sinais clínicos que apontam níveis maiores de dor.

As descobertas se somam às pesquisas existentes que descobriram que pacientes que usam maconha têm mais dor relacionada à cirurgia, o que também é o caso de usuários de opioides.

“Agora entendemos que os pacientes que usam opioides cronicamente antes da cirurgia geralmente têm respostas exageradas à dor e precisam de mais analgésicos após a cirurgia porque têm uma tolerância maior”, afirmou o pesquisador.

“Especulamos que o uso de cannabis pode causar um efeito semelhante, mas precisamos de mais pesquisas para determinar se este é o caso”.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de CNN

Comente com Facebook