Pesquisadores criam robô que examina sintomas da Covid-19

Robô com aparência de cachorro que pode identificar sintomas de Covid-19
Pesquisadores constroem robô com aparência de cachorro que pode identificar sintomas de Covid-19 (Foto: Cortesia de MIT News)

Testar um paciente para a Covid-19 pode ser uma experiência estressante para os trabalhadores da saúde. Mas pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e o Hospital das Mulheres em Boston esperam poder usar robôs para mudar esse cenário.

Operando robôs com um aparelho que cabe nas mãos, profissionais da área médica poderão, em breve, ser capazes de falar com pacientes sobre seus sintomas enquanto mede seus sinais vitais – de outro lugar.

Os pesquisadores têm usado um robô em voluntários saudáveis e estão planejando testá-lo em pessoas que demonstrem sinais da Covid-19 em ambientes hospitalares.

“Na robótica, um dos nossos objetivos é usar a automação e a tecnologia robótica para retirar pessoas de trabalhos perigosos,” disse o pós-doutor do MIt Henwei Huang, de acordo com a mensagem.

“Pensamos então que deveria ser possível usar um robô para tirar o profissional da saúde do risco de se expor diretamente a um paciente que pode estar doente”.

Como funciona

Um tablet instalado no que seria a “cabeça” do robô cachorro da Boston Dynamics permite a comunicação com os pacientes. Ele recebeu o nome de Spot.

Ademais, o robô também é equipado com uma câmera infravermelha, juntamente com três outras câmeras monocromáticas. Assim, elas são capazes de filtrar diferentes comprimentos das ondas de luz, diz a nota.

Essas quatro câmeras são capazes de medir a temperatura da pele, ritmo de respiração e a saturação de oxigênio no sangue. Dessa forma, isso pode ser feito mesmo com até dois metros de distância do paciente.

“Nós não desenvolvemos tecnologias novas para fazer as medições”, disse Huang. “O que fizemos foi integrar os métodos de forma específica para o uso com a Covid-19, para analisar os diferentes sinais vitais ao mesmo tempo”.

Os pesquisadores esperam focar em aplicações nas triagens em curto prazo, com o objetivo final sendo implantar robôs como esse nos quartos dos hospitais para monitorar o pacientes continuamente e permitir que os médicos o examinem sem ter de entrar no local e sem riscos de contaminação.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de CNN

Comente com Facebook