Kindle Fire e indiano Aakash abrem caminho para tablets baratos

O ano de 2012 deve ser pródigo para amantes de gadgets, que podem esperar tablets mais baratos, laptops ultrafinos, smartphones mais inteligentes, máquinas com o novo sistema operacional da Microsoft e até, quem sabe, a mítica linha de televisores da Apple.

2012: PARA ONDE VAI O MUNDO

Depois do Kindle Fire, tablet da Amazon vendido a US$ 200 nos EUA (o iPad custa a partir de US$ 500), o mercado deve ser inundado por tablets básicos com preços inferiores até a US$ 100.

O tablet de baixíssimo custo pioneiro é o Aakash, da empresa indiana Datawind, que custa US$ 47 e já vendeu 1,4 milhão de unidades.

No Brasil, outro fator que deve reduzir o preço dos tablets é a “Lei do Bem”, que desonerou os aparelhos produzidos no país.

Quem procura um tablet mais sofisticado pode esperar pelo sucessor do iPad, que deve ser apresentado até abril, e pelo modelo com Android feito pelo próprio Google, que será lançado nos próximos seis meses.

Com interface híbrida, o Windows 8, novo sistema da Microsoft com lançamento previsto para este ano, será adotado tanto em laptops e computadores tradicionais quanto em tablets.

Na semana passada, o Google anunciou uma medida para tornar mais uniformes os celulares com Android.

A partir da versão 4.0, a mais recente, os dispositivos que quiserem ter acesso à loja Android Market terão que incluir o visual padrão, conhecido como Holo.

Os fabricantes e as operadoras de celular continuarão livres para modificar o visual, mas a inclusão do tema padrão será obrigatória.

No mercado de smartphones, o ano de 2012 será crucial para a Microsoft e seu sistema Windows Phone 7, que é bem avaliado pela crítica, mas ainda não conquistou os consumidores. A principal aposta da empresa é a parceria privilegiada com a Nokia.

Apesar de a Apple manter seus planos em segredo, tudo indica que ela deve anunciar neste ano um iPhone totalmente redesenhado.

Mas o lançamento mais esperado da empresa é o de uma suposta linha de televisores, há meses alvo de rumores.

Além de informações vazadas de fornecedores de componentes, o indício mais forte do provável lançamento está na biografia oficial de seu cofundador, Steve Jobs, lançada no ano passado.

No livro, Jobs revelou ao autor Walter Isaacson que “finalmente havia resolvido” as dificuldades para criar um sistema de TV atraente para o usuário.

 

FOLHA

Comente com Facebook