Apple promete ações radicais para lutar contra mudança climática até 2030

Apple
Apple (Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters)

Nesta terça-feira (21), a Apple se comprometeu a lutar contra a mudança climática ao anunciar que pretende neutralizar toda sua emissão de carbono até 2030. Esse compromisso abrange todos os negócios da gigante de tecnologia, incluindo sua cadeia de suprimentos, processo de fabricação e a vida útil de seus produtos. 

Um iPhone comprado em 2030 terá um impacto nulo no clima. Isso inclui a energia que um consumidor usa para alimentar o dispositivo, de acordo com a Apple.

A empresa planeja alcançar esse patamar minimizando o uso de carbono em seus produtos e usando energia eficiente e renovável. Além disso, pretende usar diferentes materiais e remover carbono da atmosfera, disse a Apple.

“Este é um momento para não se afastar do grande desafio da mudança climática”, disse Lisa Jackson, vice-presidente de meio ambiente, políticas e iniciativas sociais da Apple. “Queríamos avançar e mostrar que devemos ir ainda mais rápido, se pudermos, porque a situação é urgente.”

Outras empresas, incluindo concorrentes da Apple como a Amazon, fazem cada vez mais mudanças para se tornarem neutras em carbono nas próximas décadas. Mas muitas delas planejam evitar os impactos climáticos terceirizando o trabalho sujo para outras empresas. Uma companhia pode comprar aço em vez de fabricá-lo, dadas as emissões relacionadas.

Nives Dolsak, professora da Universidade de Washington que estuda as mudanças climáticas, disse que a tendência das empresas que fazem promessas de neutralidade de carbono é positiva. Mas ela também criticou a promessa da Amazon, por exemplo, e como empresa conta sua emissão.

“Não basta dizer ‘aqui estão as metas e vamos reduzir as emissões’”, disse Dolsak.

Eficiência energética

A Apple diz que tem compromissos de mais de 70 fornecedores para usar 100% de energia renovável na fabricação de seus produtos. Jackson disse que a empresa espera que o anúncio faça com que mais fornecedores trabalhem para limitar sua emissão de carbono. 

A gigante de Cupertino também está trabalhando com o Fundo Verde EUAChina para investir US$ 100 milhões em projetos de eficiência energética para seus fornecedores.

A empresa já começou a mudar os materiais com os quais trabalha. A Apple disse nesta terça que começou a usar um novo tipo de alumínio para fabricar seus MacBook Pro de 16 polegadas. Nenhum carbono é usado quando esse alumínio é fundido, de acordo com a empresa.

A Apple também reduziu as emissões de gases usados na fabricação de seus eletrônicos. A empresa disse que possui um novo robô que desmonta componente do iPhone que contêm elementos valiosos, que podem ser reutilizados em futuros dispositivos. Segundo a companhia, todos os iPhones, iPads, Macs e Apple Watches lançados desde o ano passado usam esses elementos reciclados.

Também está trabalhando com a ONG Conservation International em projetos como a restauração de um ecossistema de manguezais na Colômbia, bem como em uma savana degradada no Quênia. Esses esforços e outros projetos de captura de carbono compensariam a emissão de carbono do uso de produtos da Apple, informou a empresa.

Mas Dolsak alertou que as empresas devem compartilhar dados de emissões para que cientistas e organizações sem fins lucrativos possam revisar dados e comentar sobre a confiabilidade dos métodos de relatório. A Apple faz relatórios anuais, disse a empresa, ao CDP (Carbon Disclosure Project), uma organização sem fins lucrativos que divulga ações ambientais das empresas.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de CNN

Comente com Facebook