Carta de agradecimento da AHF Brasil a Adele Schwartz Benzaken

A AHF Brasil agradece publicamente a Adele Schwartz Benzaken pelos cinco anos em que esteve no Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais do Ministério da Saúde.

Mais que isso, agradece pelos 40 anos dedicados à gestão pública e ao enfrentamento do HIV/aids e das infecções sexualmente transmissíveis, que a fizeram ser reconhecida como referência nacional e internacional.
Sua gestão foi marcada por importantes conquistas na resposta brasileira à epidemia: redução de 16% número de mortes por aids, diminuição do número de casos de HIV entre mulheres, queda de transmissão do vírus da mãe para o bebê; incorporação de medicamentos mais eficientes no combate ao HIV e de tratamento para todas as pessoas que vivem com o vírus da Hepatite C, introdução da profilaxia pré-exposição ao HIV (PrEP) às populações mais expostas à infecção pelo HIV; alocação de R$ 200 milhões em novos recursos para combater a epidemia de sífilis que atinge o país; fortalecimento do diálogo franco e propositivo com a sociedade civil – entre outros avanços.
Como disse Adele em sua carta de agradecimento aos profissionais do Sistema Único de Saúde, aos movimentos sociais e a organismos internacionais, incluindo a AHF Brasil, sua renúncia representa não apenas uma ruptura, mas uma transição.
A AHF Brasil reitera a esperança e a determinação para que este momento transitório seja de fortalecimento e de conquista, não de perda de direitos; e mantém seu compromisso de ampliar a oferta de diagóstico, tratamento e defesa dos direitos das pessoas que vivem com HIV/aids e outras IST.

Comente com Facebook