Antártica atrai turistas do mundo todo

Cerca de 30 mil pessoas visitam o continente entre os meses de outubro e março, quando é verão.

Enterra o pé na neve, sobe, sacoleja e toma banho fora de hora – turismo na Antártica é assim, mas compensa.

Apesar de o mar estar coalhado de blocos de gelo menores, o bote consegue chegar bem pertinho dos icebergs. Tem de todos os tamanhos: uns menores e paredões de gelo, icebergs gigantescos que se consegue ver bem de perto.

O turismo na Antártica é regulado por um tratado internacional. É preciso cumprir uma série de normas: antes de desembarcar, lavar as botas com desinfetante; nas ilhas, só se pode andar nas trilhas; os bichos têm prioridade e é proibido retirar qualquer coisa da Antártica, menos gelo. Um guia explica que o gelo transparente é mais antigo, tem cerca de mil anos, e é mais duro que o branco.

A melhor época para visitar a Antártica é entre os meses de outubro a março, período do verão, quando a temperatura fica em torno de 0°C. Mas nada atrapalha a diversão dos turistas. São 30 mil, em média, a cada verão. Um casal de professores do México ficou encantado. “Parece que estamos em outro planeta”, diz Ana Maria.

Na volta para casa, uma dose extra de aventura: o navio está atravessando o mar de Drake, que fica entre a Antártica e a América do Sul. É um mar muito tempestuoso. Nele se encontram dois grandes oceanos: o Pacífico e o Atlântico. Ao longo dos séculos, o Drake tem sido o terror dos navegadores e ainda hoje é um desafio atravessá-lo, mesmo para os navios mais modernos.

O comandante, o russo Alexey, navega na Antártica há 15 anos. Ele diz que gosta da adrenalina. Mas, para nosso sossego, diz ele, até que na travessia o Drake está simpático. Melhor assim: uma despedida em grande estilo.

 

Bom Dia Brasil

Comente com Facebook