Saiba qual o destino do óleo retirado das praias de Porto Seguro

Os resíduos de óleos que chegaram às praias do nordeste se transformaram em verdadeiros tormentos para prefeituras e ambientalistas.

A marinha diz que até o dia 05 de novembro mais de 4 mil toneladas de óleo cru foram retiradas das praias do nordeste até o momento.

O IBAMA afirma que, 290 localidades de 98 municípios e 09 estados no Nordeste tinham sido afetados pela maior tragédia ambiental do país em suas águas.

Em Porto Seguro as primeiras manchas de óleo começaram a aparecer no último dia 31 de outubro e de lá para cá, quase 3 toneladas de resíduos foram recolhidos. (Veja aqui)

Os resíduos de óleo retirados das praias de Porto Seguro nos últimos dias levantou a preocupação sobre a forma de armazenar e dar destino final ao material. (Relembre aqui).

Desde o início da contaminação, em setembro, a preocupação era que os moradores e voluntários fossem os primeiros a terem contato com o óleo bruto, muitas vezes sem proteção adequada. A outra preocupação é com o destino do material após o recolhimento das praias.

Para o especialista Jackson Krauspenhar, oceanógrafo especialista em emergências causadas por óleo, além da forma de recolhimento, é necessário saber onde e como está sendo armazenado até o momento de ser direcionado ao destino final. 

“Se esse resíduo não for acondicionado de maneira adequada, pode contaminar através da porosidade do solo. Se tiver chuva, aumenta essa possibilidade”, afirma. 

Em entrevista exclusiva ao Namidia News, a prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira, afirmou que seguiu a uma determinação dos órgãos de fiscalização sobre o acondicionamento do material recolhido.

A prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira, afirmou que vem seguindo o protocolo do Ibama sobre o acondicionamento do material recolhido.

Segundo a prefeita, o material recolhido foi acondicionado em tonéis metálicos e provisoriamente depositado no aterro sanitário do município, numa área coberta, pavimentada e com muro de contenção para evitar possíveis escoamentos, conforme recomendado pelo IBAMA.

“Graças a Deus, aos nossos esforços em nos anteciparmos e ao importante papel voluntariado da população, nossas praias continuam limpas e maravilhosas. Os resíduos que aqui chegaram, foram recolhidos e acondicionados em tambores de metal classificados para esse tipo, aguardando apenas um posicionamento do destino final, embora já haja em alguns municípios o experimento para transformá-lo em combustíveis”, disse Cláudia, acrescentando que o município está atento à preservação com o meio ambiente e por isso, determinou que fossem providenciadas no local de armazenamento, todas as condições para que os resíduos não possam vaza e contaminar o lençol freático.

Comente com Facebook