Dilma diz que ‘Luz para Todos’ fará 400 mil novas ligações elétricas até 2014

Programa tem como objetivo expandir rede elétrica para áreas remotas.
Novas tecnologias serão usadas, como postes de fibra de vidro.

A presidente Dilma Rousseff disse na manhã desta segunda-feira (27), durante o programa de rádio “Café com a presidenta”, que o programa Luz Para Todos fará 400 mil novas ligações elétricas até 2014. O objetivo é expandir a iniciativa para comunidades que vivem em áreas de acesso mais difícil, como florestas densas e ilhas.

“Ainda temos um desafio grande, que é o de levar energia elétrica, luz elétrica para as pessoas que moram em lugares de acesso mais difícil, em áreas isoladas, no meio da floresta e em serras e ilhas. Para atender a esses brasileiros, Luciano, o Luz para Todos vai fazer mais 400 mil novas ligações de luz elétrica até 2014”, afirmou a presidente.

Para atingir localidades remotas, Dilma afirmou que o governo vai usar novas tecnologias. Uma delas é um poste de fibra de vidro, que pesa cerca de dez vezes menos que um poste de concreto e pode flutuar em água, o que facilita o transporte por rios.

“Muitas vezes, [levar energia elétrica a áreas isoladas] requer um grande esforço e ações mais complicadas”, considerou Dilma.

A presidente citou como exemplo uma comunidade de 30 famílias na Serra do Cafundó, no Ceará. Para levar energia elétrica para o local, um helicóptero teve que transportar postes de energia e transformadores. Já os fios da rede de distribuição de energia foram carregados com jegues. As instalações foram completadas em dezembro de 2011.

A presidenta também fez uma avaliação dos resultados do Luz para Todos, criado em 2003. Segundo ela, desde o início do programa, já foram beneficiadas 12 milhões de pessoas, entre famílias que vivem em assentamentos, comunidades indígenas e quilombolas e pequenos produtores rurais. Em 2011, o programa atingiu 253 mil famílias.

Para a presidente, o Luz para Todos impulsiona a economia e “muda a vida das pessoas e das comunidades, cria para elas novas oportunidades”.

 

G1

 

Comente com Facebook