Polícia Militar Rodoviária faz a maior apreensão de drogas da história do país

Polícia Militar Rodoviária faz a maior apreensão de drogas da história do país
(Foto: Divulgação/Ministério da Justiça)

Neste fim de semana, em Deodápolis (MS), a Polícia Militar Rodoviária fez a maior apreensão de drogas da história do país. As autoridades interceptaram um caminhão com carga de soja que escondia 36,5 toneladas de maconha.

Assim, a polícia prendeu o motorista e o encaminhou à Polícia Civil no município. Conforme a investigação, ele transportava a droga para o Porto de Santos (SP).

A Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública coordena a ação, que integra o Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia). De acordo com a pasta, as apreensões relacionadas ao programa totalizaram 673 toneladas de drogas entre junho de 2020 e junho deste ano, aumento de 111% em relação aos 12 meses anteriores.

Conforme o Ministério da Justiça e Segurança Pública, a principal droga que os agentes apreenderam é a maconha. Com dois anos de atuação, o Programa Vigia levou a perdas mais de R$ 3 bilhões aos criminosos e evitou prejuízo de mais de R$ 500 bilhões aos cofres públicos. Assim, neste tempo, as autoridades apreenderam:

  • mais de 870 toneladas de drogas;
  • 113 milhões de maços de cigarros;
  • além de embarcações;
  • veículos;
  • produtos contrabandeados.

A operação atua em 15 estados: Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Acre, Rondônia, Tocantins, Goiás, Roraima, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Pará, Amapá, Rio Grande do Norte e Ceará.

O Programa Vigia segue as diretrizes do Sistema Único de Segurança Pública (Susp), com foco na atuação integrada, coordenada, conjunta e sistêmica entre as instituições. Assim, as ações possuem três eixos: operações de segurança, capacitação de agentes e compra de equipamentos e sistemas.

Polícia Militar Rodoviária faz a maior apreensão de drogas da história do país
(Foto: Divulgação/Ministério da Justiça)

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de Agência Brasil

Comente com Facebook