Justiça solta suspeito de estuprar e matar mãe após perícia apontar que vítima morreu de AVC

Justiça solta suspeito de estuprar e matar mãe após perícia apontar que vítima morreu de AVC

A Justiça do Ceará soltou um homem de 35 anos suspeito de estuprar e matar a própria mãe, após laudos da perícia realizada no corpo da idosa de 64 anos apontarem que a causa da morte foi uma hemorragia intracraniana não traumática em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

De acordo com a Defensoria Pública do Ceará nesta quinta-feira (9), a Vara Única da Comarca de Mulungu concedeu a liberdade provisória. “Os exames também não constataram nenhum sinal de violência sexual nem presença de sêmen. No mesmo despacho, o Poder Judiciário designou a Defensoria Pública para acompanhar o caso e prestar a assistência necessária aos envolvidos”, disse a Defensoria.

Policiais militares prenderam o filho no dia 31 de agosto de 2021. Assim, a prisão teve duração de quase 10 dias até sair o resultado da perícia. Os agentes encontraram o corpo da idosa dentro da residência onde a família morava. Na Delegacia Regional de Baturité teria sido constatado que o filho já respondia anteriormente por ameaça.

Conforme o defensor público Matheus Machado, que acompanhou os depoimentos dos familiares da vítima, ficou comprovado que não existiu nenhum crime. “Enquanto dormia, a mulher teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC), mas o boato de alguma forma se espalhou pela cidade e por isso o filho foi preso sob acusação. Agora, nossa preocupação é com a integridade física desse homem, que está acolhido por sistema de proteção. Por isso é tão importante que seja divulgado que ele é inocente para que as reparações possam ser realizadas de forma adequada”, disse Machado.

“Em seu pedido, a Promotoria de Justiça do Ceará reforça ainda a preocupação com a repercussão do caso e informa que ‘o Ministério Público aguardará o término das investigações para que seja avaliada a conduta policial quanto à preservação do local de crime e observância dos regramentos legais aplicáveis à espécie'”, de acordo com a Defensoria.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de Diário do Nordeste

Comente com Facebook