Casal é preso suspeito de matar bebê que pretendia adotar

Bebê que morreu com apenas 1 ano de idade na Inglaterra
Bebê que morreu com apenas 1 ano de idade na Inglaterra é fotografado com a avó biológica (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

A polícia da Inglaterra prendeu um casal por suspeita de assassinar um bebê de apenas um ano, que estaria em processo para ser adotado por eles. Segundo a BBC, a polícia anunciou a prisão de uma mulher de 37 anos e um homem de 34 na região inglesa de Barrow-in-Furnes.

A Cumbria County Council confirmou que a criança estava vivendo sob cuidados do casal, mas que o processo de adoção ainda estava em andamento. Uma investigação foi aberta para apurar o caso.

A morte aconteceu em janeiro. No dia 6, o serviço local de emergência foi acionado e a criança foi levada para o Furness General Hospital, na cidade de Barrow. O bebê chegou a ser levado para um hospital de Liverpool, o Alder Hey Children’s Hospital, mas morreu no dia seguinte.

Conforme o Daily Mail, uma lesão na cabeça acabou levando o bebê à morte.

Dean Holden, detetive responsável pelo caso, afirmou à BBC que “duas pessoas foram presas nas investigações da trágica morte de um garoto de um ano em Barrow-in-Furnes”.

“Uma investigação está em processo com um time de detetives e especialistas para estabelecer as circunstâncias completas do que levou à morte, em parceria com o instituto médico legal”, adicionou ele.

“Isso é horrível. Ele era um garoto feliz, não acredito no que aconteceu”, disse a avó biológica Yvonne Corkill, segundo o Daily Mail. “Eu estive no nascimento e agora ele morreu. Não acredito que se passou apenas um ano”.

Entretanto, não se sabe o motivo para o afastamento da mãe biológica da criança.

O conselho do condado local afirmou que, apesar de não haver uma oficialização da adoção, é comum que crianças vivam um tempo com os possíveis pais adotivos para concluir o processo.

As autoridades detiveram o casal, mas ele responderá em liberdade após ser liberado mediante pagamento de fiança.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de UOL

Comente com Facebook