Brasileiro morre a tiros no Paraguai e é encontrado com bilhete: ‘não roubar na fronteira’

Brasileiro morre a tiros no Paraguai e é encontrado com recado: 'não roubar na fronteira'
Bilhete foi deixado ao lado do corpo de Rogério Laurete Buosi, morador de Araçatuba (SP), morto a tiros no Paraguai (Fotos: Reprodução/Facebook e Polícia paraguaia)

Um brasileiro de 26 anos, morador de Araçatuba (SP), morreu a tiros em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na noite de sábado (25). Conforme apuração do g1, próximo ao corpo havia um bilhete com a mensagem “não roubar na fronteira”.

De acordo com Ana Lara Batista Leal, a irmã do homem, Rogério Laurete Buosi foi encontrado baleado dentro da casa onde estava, em Pedro Juan Caballero. 13 tiros o atingiram, perfurando a cabeça, uma das mãos e um braço.

Ainda segundo Ana Lara, o irmão se mudou para o Paraguai a trabalho há cerca de dois meses. Amigos dele o convidaram, e a previsão era que ele voltasse para Araçatuba, onde mora a família, em outubro.

O corpo de Rogério chegou a Araçatuba no domingo (26). Assim, o enterro ocorreu na noite desta segunda (27).

Sangue na fronteira

No passado e também recentemente, mortes com características muito semelhantes já ocorreram na região, que é uma das mais violentas na fronteira com o Mato Grosso do Sul.

Em agosto, houve o assassinato de dois jovens, que seriam irmãos brasileiros, na fronteira entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero. Da mesma forma que ocorreu em outros casos, com os corpos havia um bilhete atribuindo o crime aos “Justiceiros da Fronteira”.

Um mês antes, aconteceu a execução do casal Mateo Martínez Armoa, de 21 anos, e Anabel Centurion Mancuelo, de 22. 47 tiros os atingiram em uma choperia também na cidade de Pedro Juan Caballero.

Conforme a polícia do Paraguai, os pistoleiros deixaram um bilhete, escrito em espanhol, preso à cabeça do jovem e com assinatura de “Justiceiros da Fronteira”: “Favor não roubar” .

Um dia depois da morte do casal, as autoridades encontraram um adolescente de 17 anos com as mãos cortadas e com o bilhete: ‘os justiceiros estão de volta. O crime ocorreu na mesma fronteira.

Já em maio, um vídeo circulou nas redes sociais mostrando a execução de um homem com tiros de fuzil. O crime aconteceu em uma das ruas que faz fronteira entre Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Cabellero.

Também em maio, três homens morreram a tiros. Ademais, os suspeitos pelos assassinatos ainda colocaram cartazes de alerta sobre os corpos com as palavras “não roubem”.

Se engana quem pensa que os casos de violência e morte na fronteira são recentes.

No ano passado, câmeras de segurança flagraram a execução do brasileiro Uderson Itrio Fernandes de Araújo, 32 anos. O vídeo mostra ele sendo baleado na frente da casa dele, em Pedro Juan Caballero.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de g1

Comente com Facebook