PF pediu suspensão da operação ‘Vegas’, diz subprocuradora da Repúbica

Cláudia Sampaio é mulher do procurador-Geral, Roberto Gurgel

A subprocuradora da República, Cláudia Sampaio, mulher do procurador-Geral, Roberto Gurgel, quebrou o silêncio e respondeu à polêmica da suspensão das investigações, em 2009, da operação “Vegas”. Na época, a Polícia Federal (PF) disse ter encontrado indícios de irregularidades, mas Gurgel considerou o contrário, e nada fez até fevereiro de 2012, quando estourou a operação “Monte Carlo”, que também envolveu o senador Demóstenes Torres (sem partido) e prendeu o bicheiro Carlos Cachoeira. Só então Gurgel mandou abrir um inquérito. Cláudia afirmou que iria arquivar o caso, “mas o doutor Raul foi categórico ao pedir para esperar, para não atrapalhar investigações em curso”. Raul Alexandre é o delegado da PF que comandou a operação de 2009, que levou à “Monte Carlo” em 2010. “Está claro que a Vegas era uma operação natimorta”, disse a subprocuradora, por intermédio de sua assessoria. A sua justificativa para dizer que a Vegas era “natimorta” é que, segundo ela, se a operação tivesse continuado não iria levar a resultados concretos, uma vez que os policiais encarregados das investigações seriam do esquema. As declarações da mulher de Gurgel irritaram a PF, que nega que o delegado tenha feito o pedido.

 

 

BN

Comente com Facebook