Após 16 dias de prisão, cabo Daciolo é solto

Cabo Benevenuto Daciolo, em foto de arquivo Foto: Eurico Dantas - 2008 / O Globo

RIO – Após 16 dias de prisão, nove deles cumpridos no presídio de Bangu 1, o cabo Benevenuto Daciolo foi posto em liberdade por volta das 15h30m e saiu do Grupamento Especial Prisional (GEP), na Avenida Bartolomeu de Gusmão 850, em São Cristóvão. A Defensoria Pública da Auditoria Militar do Rio de Janeiro informou que foi cumprido o alvará de soltura coletivo, conseguido no domingo passado, dia 19, que liberou os 11 bombeiros presos no GEP. A liberdade, naquele dia, não foi concedida ao cabo Daciolo, por causa de um erro de digitação no número do processo de Daciolo.

Os primeiros bombeiros a sair da prisão, no sábado de carnaval, foram os sargentos Heraldo Correa Vieira, de 32 anos, e André Manoel Pontes de Matos, de 29 anos, do 3º G-Mar (Copacabana), que integravam o grupo levado ao presídio Bangu 1, logo após decretada a prisão e, depois, transferidos para o GEP. Na tarde do mesmo sábado, os 11 policiais militares que ainda estavam detidos também foram soltos. Na manhã de domingo, por volta das 11h, os dez bombeiros restantes receberam o habeas corpus e saíram no início da tarde.

O principal líder do movimento, o cabo Benevenuto Daciolo, não saiu do presídio juntamente com os companheiros por causa dos problemas no alvará. As decisões foram assinadas pelo desembargador Adolpho Corrêa Andrade Mello Júnior.

 

 

EXTRA

 

Comente com Facebook