Militar do Exército se fere gravemente ao perseguir garimpeiros

Cabo atingido pela hélice do motor de embarcação usada por garimpeiros
Cabo atingido pela hélice do motor de embarcação usada por garimpeiros — Foto: Divulgação/Exército Brasileiro

Na noite desse sábado (11), no rio Uraricoera, região da Terra Indígena Yanomami, em Roraima, um cabo do Exército se feriu gravemente nas costas durante uma perseguição a garimpeiros. Além dele, um soldado também se feriu no rosto.

De acordo com a assessoria da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, a confusão ocorreu quando três embarcações com garimpeiros tentavam subir o rio sem passar pelo posto de fiscalização do Exército.

Na tentativa de abordá-los, dois barcos com militares seguiram as embarcações. No entanto, de acordo com o Exército, os garimpeiros aceleraram e bateram de maneira intencional contra os barcos da fiscalização.

“Além do choque [contra os barcos], os garimpeiros que tripulavam as embarcações utilizaram-se de varas de madeira, normalmente usadas para o controle da ancoragem e verificação da profundidade na navegação, para atingir os militares que faziam a abordagem”, informou em nota o Exército.

Com a batida entre os barcos, o cabo caiu na água e bateu na hélice do motor de popa dos garimpeiros. De acordo com o Exército, ele sofreu uma grave perfuração e diversos cortes nas costas. Um soldado teve o rosto atingido e também caiu na água.

Após o episódio, outros militares tiveram de socorrer as vítimas e os garimpeiros fugiram. Os dois militares foram medicados ainda na região e depois foram transportados de helicóptero a Boa Vista, onde estão sob cuidados médicos.

O militar com sérias perfurações nas costas passou por cirurgia e permanece estável. Ele está internado em um hospital local, de acordo com o Exército.

O Exército classificou a situação como “extremamente grave” e determinou instauração de Inquérito Policial Militar para apurar a “responsabilidade criminal dos garimpeiros envolvidos no ato de agressão aos militares em serviço, bem como, a realização de operações na região para identificação e captura dos criminosos.”

Caso anterior

O episódio ocorreu dois dias depois que 15 garimpeiros foram presos pelo Exército quando tentavam entrar na Terra Indígena Yanomami pelo rio Mucajaí com materiais de garimpo ilegal. Seis barcos foram apreendidos na ação e um dos garimpeiros se feriu.

Com informações de: G1

Comente com Facebook