Sobreviventes ao redor do mundo celebram Dia Mundial de Luta contra o Câncer

Kathy, de 58 anos, é uma sobrevivente de câncer de mama. Ela vive na Cidade do Cabo, na África do Sul, e ainda passa por tratamento para evitar que a doença retorne. A foto foi tirada no ano passado, quando ela recebeu a notícia de que tinha derrotado o câncer. Foto: Jeanette Verster

Dia 4 de fevereiro é o Dia Mundial de Luta contra o Câncer e leitores de todo o mundo enviaram ao Serviço Mundial da BBC suas fotografias e histórias.

Simon James, Grã-Bretanha: "Em 2006, fui diagnosticado com câncer de intestino e passei por uma série de operações seguidas por radioterapia. Na foto, estou segurando minha tomografia três anos após o tratamento. Seis anos se passaram desde o diagnóstico e eu ainda estou livre do câncer!"

“Em 2006, fui diagnosticado com câncer de intestino e passei por uma série de operações seguidas por radioterapia. Seis anos se passaram desde o diagnóstico e eu ainda estou livre do câncer!”, diz Simon James, da Grã-Bretanha.

Alguns dos sobreviventes de câncer decidiram usar suas experiências para ajudar outros em situações similares.

Abdullah Dhaim tem 75 anos e recebeu o diagnóstico de câncer no cólon alguns anos atrás. Na Arábia Saudita, algumas pessoas acham que a doença é contagiosa e se afastam dos pacientes. Foto: Abduljalil Al-Nasser

Zanda, da Letônia, passou por diversas cirurgias para reduzir a chance de que seu câncer de mama reapareça e hoje faz parte do projeto “Árvore da Vida”, criado para ajudar pacientes de câncer.

Dmitry Berku, da Rússia, enviou esta imagem: "Conheci Serge (à direita) dois anos atrás quando ele passava por um tratamento contra a leucemia. Ele nasceu na Sibéria e tinha muitos irmãos e irmãs. Sua mãe não podia ficar no hospital com ele. Ele foi adotado por um casal mais velho e finalmente pode deixar o hospital."

Na Arábia Saudita, Zain também participa de um grupo, chamado “A Esperança”. que visita pessoas que enfrentam a doença, especialmente aqueles que acabaram de receber o diagnóstico. O acompanhamento dos pacientes continua mesmo após a cura, já que relações muito fortes são criadas entre os pacientes.

[caption id=”attachment_9502″ align=”alignnone” width=”466″ caption=”Zain é uma sobrevivente de câncer da Arábia Saudita. Ela faz parte de um grupo que visita pacientes de câncer, especialmente aqueles que acabar

Comente com Facebook