Mais de 200 pessoas são resgatadas de naufrágio na Papua Nova Guiné

Barco com 350 a bordo navegava a leste do país; causas do acidente são desconhecidas

Localização da Papua Nova Guiné. Foto: GoogleMaps/Reprodução

SYDNEY – As equipes de emergência resgataram até agora 219 sobreviventes que viajavam em uma embarcação que afundou nesta quinta-feira, 2, com cerca de 350 passageiros no litoral nordeste de Papua Nova Guiné, informaram fontes oficiais.

Oito navios que estavam nas proximidades do local do acidente participaram do resgate, disse a porta-voz da Autoridade Nacional de Segurança Marítima da Austrália, Carly Lusk, a um canal local. De acordo com esta fonte, a maioria dos resgatados são estudantes e professores recém graduados.

Já as autoridades marítimas de Papua Nova Guiné reduziram a 193 o número de sobreviventes já resgatados e assinalaram que todos estão aparentemente em boas condições de saúde. “Parece que os sobreviventes não têm grandes problemas de saúde, mas por enquanto desconheço os detalhes. Minha prioridade é resgatar todas as pessoas possíveis”, disse o capitão Nurur Rahman, responsável pela segurança marítima, por telefone desde Port Moresby, a capital papua.

Rahman indicou que um número indeterminado de passageiros ainda “espera na água pelo resgate” e que até esse momento não foram avistados corpos boiando na água.

Antes do naufrágio, a tripulação do navio MV Rabaul Queen, da companhia Star Ships, enviara um pedido de auxílio quando navegava entre as localidades de Kimbe e Lae. A Star Ships, por sua vez, divulgou em comunicado que o acidente ocorreu cerca de 80 quilômetros ao leste de Lae, mas não precisou o número de passageiros que viajavam na embarcação nem as causas do acidente.

A primeira-ministra australiana, Julia Gillard, disse a jornalistas em Melbourne que este acidente marítimo pode se tratar de uma “grande catástrofe” e confirmou que a Austrália prestará assistência a Papua Nova Guiné, sem dar mais detalhes. Aviões australianos de reconhecimento e resgate foram destacados à zona onde a embarcação afundou.

ESTADÃO

Comente com Facebook