Homem desaparecido há 30 anos é encontrado após recuperar memória

Em janeiro, Edgar começou a recuperar parte da memória e entrou com contato com um assistente social pedindo ajuda

Um canadense desaparecido há 30 anos foi encontrado após recuperar parte da memória e lembrar o próprio nome. Edgar Latulip foi visto pela família pela última vez em 1986, quando estava internado em um hospital do Canadá. O rapaz, que na ocasião tinha 21 anos, tinha tendo se matar.

Edgar tem déficit de desenvolvimento e sua capacidade mental é equivalente a de uma criança de 12 anos. Ele teria perdido a memória após machucar a cabeça, e nunca foi encontrado pela polícia. Em 2014, a mãe dele, Sylvia Wilson, chegou a afirmar que já tinha perdido a esperança de rever o filho.

Em janeiro, Edgar começou a recuperar parte da memória e entrou com contato com um assistente social pedindo ajuda. “Pedaços de sua memória começaram a voltar. Em seguida, o assistente social descobriu alguma coisa na Internet que os levou a acreditar que isso significava algo”, disse o detetive Philip Gavin em entrevista para a ‘CTV News’.

Usando o nome dado por Edgar, o assistente social fez uma pesquisa na internet e descobriu que havia uma pessoa desaparecida com este mesmo nome. O canadense teve a identidade confirmada nesta quinta-feira (11), após passar por um exame de DNA. Ele estava morando em cidade próxima de onde a sua família mora, e deve reencontrá-la em breve.

“Quando o Edgar desapareceu, eu fiquei muito doente. Precisei me afastar do trabalho, e quase tive um colapso nervoso”, revelou a mãe do canadense em uma entrevista em 2014. Encontrá-lo com vida foi considerado uma vitória pela polícia do país.

“Eu tinha esperança de que ele estava em algum lugar. Para nós, como investigadores, isso é ótimo, isso é incrível. É gratificante porque a maioria destes casos não acabam dessa maneira. Você espera o pior quando uma pessoa está perdida assim há tanto tempo”, disse o detective de polícia Duane Gingerich.

Correio24hrs

RTEmagicC_5eebffa583.jpg

 

 

Comente com Facebook