Gases fazem pai e filho desmaiarem e morrerem em poço de esterco

Pai e filho morreram em fossa em Portugal

Rui Duarte Cordeiro, de 50 anos, e o filho, Gonçalo Pereira Duarte, de 30 anos, morreram soterrados após caírem em uma fossa de exploração de suinicultura em Portugal. “A família está muito mal e está muito difícil para todos. Ainda não conseguimos acreditar e entender essa tragédia”, diz o cunhado de Rui.

De acordo com Fabrício Jader de Souza, de 41 anos, que foi para Portugal dar suporte para a irmã, esposa do empresário, todos estão muito abalados.

“Rui era uma grande pessoa, inteligente, de bom coração e um grande empresário. Ele e os filhos eram muito unidos. Ele tinha plena consciência dos riscos e, mesmo assim, não hesitou em salvar o funcionário”, diz o cunhado, que também é gerente da Poçágua em Registro, no interior de São Paulo, empresa da família das vítimas.

O acidente que matou Rui e Gonçalo, na tarde do último sábado (1º), na fazenda chamada Herdade da Galega, localizada na vila Chamusca, no Distrito de Santarém. O funcionário da fazenda Bruno Gonçalves também morreu no local. Além disso, o outro filho do empresário, Rafael Cordeiro, permanece internado em um hospital português. A família possuía um alojamento rural e explorava a suinicultura na área.

“O funcionário estava perto do fosso, que contém esterco de porco e emite gases, quando acabou caindo e desmaiando lá dentro. É um fosso de mais ou menos oito metros e tinha cerca de cinco metros de esterco líquido”, explica Fabrício.

De acordo com o gerente, Rui viu o que aconteceu com o funcionário e tentou salvá-lo. “Existe uma escada dentro do fosso e ele desceu mesmo sabendo que aquilo emitia gás. Ele pegou o funcionário, subiu e, no penúltimo degrau, ele não aguentou e desmaiou também, caindo em seguida”, conta.

Os filhos Gonçalo e Rafael também viram todo o ocorrido e tentaram ajudar. Os dois acabaram desmaiando. Porém, um outro funcionário conseguiu puxar um dos filhos do empresário e o jovem segue internado. “Agora o quadro do Rafael estabilizou e parece que, em 72 horas, ele já estará fora da UTI”, conta.

Segundo Fabrício, Rui e os filhos eram muito queridos em Portugal e no Vale do Ribeira, pelo respeito e carinho que tinham pelos clientes e funcionários. Ele relata que o empresário se dedicava aos negócios e amava o que fazia. “Sempre visamos o bem estar do funcionário. O Rui, se sabia que o funcionário estava com problema financeiro, emprestava dinheiro e falava para eles irem pagando em várias vezes. Ele sempre queria ajudar e deixá-los satisfeitos”, diz.

De acordo com o cunhado, a autópsia dos corpos do empresário e do filho será realiza nesta segunda-feira (3) e a programação é que o velório ocorra só a partir de terça-feira (4), em Portugal. Fabrício também explica que a esposa do funcionário passou mal após saber do ocorrido. “Rui e todos os filhos eram muito apegados e unidos. Além dos meninos, ele tem duas filhas com a minha irmã, a atual esposa”, relata.

Rui morava em Portugal e o filho, desde 2013, e veio para o Brasil ajudar nos negócios que o pai tinha no país. “O Gonçalo veio só para passar dez dias de férias, mas infelizmente acabou acontecendo isso. Minha irmã está bastante abalada. Agora estamos rezando e colocando nossas forças para que o Rafael fique bem”, finaliza Fabrício.

Nas redes sociais, clientes e funcionários lamentaram o ocorrido, afirmando terem muito carinho pelas vítimas e desejando forças a toda a família.

Com informações de: G1

Comente com Facebook