Duas pessoas sobrevivem à queda de avião no Paquistão

Equipe de resgate joga água em parte de aeronave da Pakistan International Airlines que caiu em área comercial de Karachi, no Paquistão
Equipe de resgate joga água em parte de aeronave da Pakistan International Airlines que caiu em área comercial de Karachi, no Paquistão, nesta sexta-feira (22) (Foto: Asif Hassan/AFP)

Na sexta-feira (22), duas pessoas sobreviveram à queda do avião da Pakistan International Airlines (PIA) em uma área residencial de Karachi, no sul do Paquistão. A aeronave seguia para o aeroporto Internacional de Jinnah, um dos mais movimentados do país.

O voo PK 8303, que tinha partido da cidade de Lahore, transportava 99 pessoas. A autoridade de aviação confirmou que 97 pessoas morreram no acidente, todos do avião, conforme a Reuters.

A aeronave, um Airbus A320, fazia uma segunda tentativa de pouso quando caiu entre as casas perto de Model Colony, um bairro pobre e muito populoso de Karachi, que fica a cerca de 3,2 km a nordeste do aeroporto. A queda provocou uma explosão e nuvens de fumaça preta podiam ser vistas de longe.

Os serviços de resgate e os habitantes tiraram as pessoas dos escombros, enquanto os bombeiros tentavam apagar as chamas. Um repórter da AFP viu corpos carbonizados sendo levados para uma ambulância.

De acordo com o Exército, moradores de 25 casas afetadas pela queda foram acomodados em vários lugares com a assistência da Administração Civil.

O acidente coincide com a preparação em todo o país da celebração do fim do Ramadã e início do Aid al Fitr, que leva muitos paquistaneses a viajar de volta para suas casas e povoados. O voo normalmente leva uma hora e meia da cidade de Lahore (em Punjab, no nordeste do país) até Karachi.

Testemunhas disseram que o Airbus A320 tentou pousar mais de uma vez antes de cair, segundo a Associated Press.

Uma emissora local mostrou muitas pessoas que se aglomeravam perto do local do acidente e ambulâncias que tentavam se deslocar.

Problema técnico

O presidente da companhia aérea, Arshad Malik, afirmou que, na última vez que receberam notícias do piloto, ele indicou que havia um problema técnico. “Nós dissemos [ao piloto] que havia duas pistas prontas para aterrissagem, mas ele decidiu voltar a acelerar. Por quê? Resta ainda determinar o problema técnico”, afirmou em um vídeo no Twitter.

Um funcionário sênior da aviação civil disse à Reuters que parecia que o avião não conseguia liberar as rodas devido a uma falha técnica antes do pouso, mas era cedo para determinar a causa.

A Airbus disse que a aeronave voou pela primeira vez em 2004 e foi equipada com motores fabricados pela CFM International, de propriedade da General Electric e da francesa Safran.

O primeiro-ministro do Paquistão anunciou logo após o acidente que haveria um inquérito e uma equipe de quatro membros foi constituída na noite de sexta-feira, de acordo com uma notificação da divisão de aviação do governo, vista pela Reuters.

A equipe inclui três membros do Conselho de Investigação e Acidentes de Aeronaves e um do conselho de segurança da Força Aérea do Paquistão. A equipe emitirá uma declaração preliminar dentro de um mês, diz a notificação.

Não houve confirmação oficial de que a caixa preta foi encontrada.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de G1

Comente com Facebook