China volta atrás e diz que médico que alertou sobre o coronavírus está vivo

O jornal estatal chinês Global Times divulgou, nesta quinta-feira (06), a notícia de que o médico que alertou sobre o novo coronavírus havia morrido.

Porém, a mídia chinesa voltou atrás e passou a divulgar que ele está internado e em estado grave.

O People’s Daily, diário do Comitê Central do Partido Comunista, publicou no Twitter que a morte do oftalmologista Li Wenliang, de 34 anos, tinha provocado “sofrimento nacional”. Outros meios de comunicação chineses e internacionais divulgaram a suposta morte do médico, até a Organização Mundial da Saúde (OMS) expressou tristeza em sua conta do Twitter pelo possível fato, mas apagou a publicação.
Depois, o Global Times publicou, com base em relatório do Hospital Central de Wuhan, no epicentro do vírus, onde Li trabalhava e estava internado, que o médico havia tido uma parada cardíaca por volta das 21h30 do horário local (10h30 do horário de Brasília) e, por conta disso, foi submetido a procedimentos de ressuscitação e se encontra em estado crítico.

No Sina Weibo, rede equivalente ao Twitter, na China, as notícias da morte de Li provocaram uma onda enorme de reação popular.
O médico foi tratado como se fosse um ‘herói nacional’, depois de publicar a história narrando como tentou alertar os outros médicos, se tornou alvo da polícia, que pensava que ele estaria espalhando “informações falsas”, e terminou sendo infectado pelo novo coronavírus.

Comente com Facebook