China alerta para pneumonia ‘mais mortal que a Covid-19’ no Cazaquistão

Pessoas se protegendo do novo coronavírus

A embaixada da China no Cazaquistão alertou seus cidadãos a fim de que tomem precauções contra um surto de pneumonia no país. Conforme o órgão, a doença é “mais letal que a Covid-19“.

A entidade afirmou em comunicado na sua conta oficial do WeChat na noite de quinta-feira que houve um “aumento significativo” de casos nas cidades de Atyrau, Aktobe e Shymkent desde meados de junho.

A pneumonia no Cazaquistão matou 1.772 pessoas na primeira metade do ano, com 628 mortes somente em junho, incluindo cidadãos chineses, informou a embaixada.

“A taxa de mortalidade da doença é muito maior do que a da pneumonia causada pelo novo coronavírus”, afirmou.

Ainda não está claro se é causado por um vírus relacionado ao novo coronavírus ou por uma cepa diferente. A embaixada disse que o Ministério da Saúde do Cazaquistão e outras instituições de saúde estão agora realizando um “estudo comparativo”. Entretanto, afirma que ainda não há conclusões.

De acordo com um relatório divulgado na terça-feira pela Kazinform, a agência de notícias estatal do Cazaquistão, o número de casos de pneumonia “aumentou 2,2 vezes em junho, em comparação com o mesmo período de 2019”.

Segundo o jornal chinês Global Times, o Ministério das Relações Exteriores do Cazaquistão “não respondeu a perguntas sobre o aviso da embaixada chinesa”.

Defesa do Ministério da Saúde

Entretanto, o Ministério da Saúde do país rejeitou o alerta, dizendo que as alegações da “mídia chinesa” não “correspondem à realidade”. Isso foi feito em comunicado citado pela imprensa local, sem mencionar a declaração da embaixada da China.

Conforme o comunicado, há pacientes registrados como sofrendo de pneumonia e não do novo coronavírus, apesar de terem os sintomas da Covid-19, porque os resultados dos testes deram negativo.

O mesmo comunicado acrescentou que os aumentos de casos de pneumonia de origem bacteriana, fúngica e viral, que também incluem pneumonias virais de “organismos não especificados”, estão de acordo com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“É importante assinalar que a OMS introduziu códigos de pneumonia na Classificação Internacional de Doenças – CIE 10, nos casos em que a Covid-19 é diagnosticada clínica ou epidemiologicamente, (…) mas não confirmada em laboratório. O Cazaquistão, como outros países, mantém uma contagem e vigilância deste tipo de pneumonias, a fim de tomar decisões oportunas para estabilizar a incidência e prevalência da Covid-19”, afirma o comunicado.

O Cazaquistão registrou mais de 50.000 casos confirmados da Covid-19, incluindo 264 mortes. O número de novos casos aumentou para um recorde diário de 1.962 na quinta-feira, informou a Kazinform.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de CNN e LUSA

Comente com Facebook