De virada, Vitória elimina o Botafogo e faz festa baiana no Engenhão

Time sai atrás no placar, mas se recupera e consegue vencer por 2 a 1. Rival nas quartas de final da Copa do Brasil será o Coritiba

O cenário não era favorável ao Vitória. Havia empatado em 1 a 1 em casa e saiu atrás no segundo jogo. Mas o time teve força e disposição para encontrar uma forma de vencer o Botafogo por 2 a 1, nesta quarta-feira, no Engenhão, e conseguir a classificação para enfrentar o Coritiba nas quartas de final da Copa do Brasil. O confronto já começa a ser disputado na próxima semana e o sorteio do mando de campo será realizado nesta quinta-feira, na sede da CBF.

O resultado ainda dá mais motivação ao Vitória para a disputa da final do Campeonato Baiano, domingo, contra o Bahia, no Estádio Pituaçu, quando também entrará em campo precisando vencer, já que o empate dará o título ao rival. Ao Botafogo resta a melancolia de uma decisão contra o Fluminense na qual precisa fazer três gols de diferença para levar a disputa para as cobranças de pênaltis.

Mas conseguir a vaga nas quartas de final não foi uma tarefa das mais simples para o Vitória. Sem Antônio Carlos e Fellype Gabriel, vetados na concentração, o Botafogo precisava de um empate sem gols ou de uma vitória simples e parecia jogar com tranquilidade. Entre vaias e aplausos a Lucas e Elkeson, perseguidos desde a derrota para o Fluminense, o começo até foi animador para o clube carioca.

Aos 11 minutos, Maicosuel fez grande jogada e deixou Loco Abreu livre, mas o uruguaio chutou mal de direita e mandou a bola para fora. O Vitória também atacou, afinal só se classificaria vencendo ou com um empate por dois ou mais gols. Mas o primeiro lance perigoso do clube baiano saiu de um chute do goleiro do Botafogo, Jefferson, que acertou a cabeça de Geovanni, mas na volta acabou indo para fora.

No entanto, em um novo chutão para a frente, Rodrigo não conseguiu cortar e a bola foi para Elkeson, que mesmo caído conseguiu chutar para abrir o placar. Na comemoração, o jogador do Botafogo desabafou, já que vinha sendo vaiado pelos torcedores.

Depois do gol, o Botafogo recuou como havia acontecido contra o Fluminense. O Vitória passou a ser mais perigoso, principalmente nas bolas cruzadas. Aos 36, Jefferson saiu mal, Neto Baiano cabeceou e Lucas salvou em cima da linha.

Pênalti e expulsão

No fim do primeiro tempo, numa jogada parecida, Neto Baiano impediu a saída de Jefferson, Uelliton cabeceou e Lucas salvou, mas, desta vez, com a mão. O árbitro Paulo César de Oliveira deu pênalti, expulsou o jogador, mas o goleiro do Botafogo defendeu a cobrança de Neto Baiano, aos 48 minutos, e evitou o empate.

Os técnicos fizeram mudanças no intervalo. Oswaldo de Oliveira colocou Gabriel no lugar de Felipe Menezes para ocupar a lateral direita. Já Ricardo Silva tirou Geovanni para a entrada de Dinei. O Vitória aproveitou a vantagem de ter um jogador a mais para pressionar.

O empate não demorou a acontecer. Aos 12 minutos, Gabriel e Marcelo Mattos bobearam, Pedro Ken aproveitou e acertou um belo chute para colocar o Vitória no jogo. Por pouco, o time baiano não virou, aos 17, com cabeçadas seguidas de Rodrigo, defendida por Jefferson, e Uelliton.

A situação ficou completamente favorável ao Vitória e as bolas alçadas se transformaram em desespero para o Botafogo. Até que, depois de várias tentativas, o time conseguiu a virada, aos 24 minutos, com um gol de cabeça do baixinho Tartá.

O jogo ganhou contornos de drama quando Pedro Ken foi expulso diretamente aos 31 minutos por falta em Renato. O Botafogo, então, partiu com tudo para o ataque na busca por dois gols. Estreante, Vítor Júnior entrou no lugar de Marcelo Mattos. Maicosuel e Loco Abreu tiveram grandes, mas o Botafogo sequer conseguiu o gol de empate. Festa baiana no Engenhão.

 

 

GLOBO.COM

Comente com Facebook