Morre o primeiro médico que alertou para coronavírus na China

Coronavírus

Nesta quinta-feira (06), morreu de coronavírus em Wuhan (China) o médico chinês Li Wenliang, o primeiro a alertar sobre uma possível doença “semelhante à Sars” em dezembro do ano passado

O oftalmologista, que tinha 34 anos, falou sobre uma “doença misteriosa” e escreveu em um grupo de bate-papo on-line: “Em quarentena no departamento de emergência”.

“Muito assustador”, respondeu um dos integrantes do grupo, antes de perguntar sobre a epidemia que começou na China em 2002 e acabou matando quase centenas de pessoas. “A Sars está voltando?”

Wenliang havia sido hospitalizado em 12 de janeiro. O coronavírus já infectou mais de 28 mil pessoas, em dezenas de países, e matou mais de 560 – quase todas na China.

Nas primeiras semanas do surto, autoridades silenciaram médicos e outros profissionais por darem sinais de alerta.

Eles minimizaram os perigos para a população, deixando os 11 milhões de moradores de Wuhan sem acesso à informação de que deveriam se proteger.

Wenliang foi obrigado a se desculpar e a reconhecer que tivera um “comportamento ilegal”.

Mas os rumores se espalharam. Pressionada, a Scretaria de Saúde de Wuhan anunciou que 27 pessoas estavam sofrendo de pneumonia de causa desconhecida.

O comunicado dizia que não havia necessidade de se alarmar. 

“A doença é evitável e controlável”, afirmou o texto oficial.

Semanas depois, o governo comunista mudou o tom e admitiu a gravidade do problema e centenas de mortes decorrentes dele.

Comente com Facebook