Governo intervém e assume os trabalhos da Copa do Mundo de 2014

Brasília e Fifa jogam o Comitê Organizador Local (COL) para escanteio

ZURIQUE – Faltando apenas 13 meses para a Copa das Confederações e 25 meses para a Copa do Mundo, o governo intervém na preparação da competição e, junto com a Fifa, assume a organização da Copa do Mundo. Nesta terça-feira, a Fifa anunciou que o governo passará a fazer parte do Comitê Organizador Local, pela segunda vez na história das Copas. A outra foi na África do Sul em 2010. Joseph Blatter, presidente da Fifa, ainda deixou claro que os interlocutores do projeto são Jerome Valcke, secretário-geral da entidade, e o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, sem citar nenhum dos membros do COL ou CBF.

Dirigentes brasileiros e membros da Fifa se reúniram em Zurique, na sede da entidade
Dirigentes brasileiros e membros da Fifa se reúniram em Zurique, na sede da entidade

Para altas fontes do governo, o anúncio é um reconhecimento do fracasso dos cartolas brasileiros na gestão e da necessidade de que o Planalto assuma um papel protagonista. O estadão.com.br revelou no final de 2011 que a Fifa e o governo já haviam iniciado uma aproximação, deixando a CBF do já enfraquecido Ricardo Teixeira de lado. O grupo que o substituiu não convenceu a Fifa de que poderiam tocar o projeto e a aliança com o governo acabou sendo concretizada. As reuniões ocorrerão a cada seis semanas.

Dirigentes brasileiros e membros da Fifa se reúniram em Zurique, na sede da entidade
Dirigentes brasileiros e membros da Fifa se reúniram em Zurique, na sede da entidade

 

 

ESTADÃO

Comente com Facebook