Anonymous cita Bolsonaro e sugere investigação da relação do presidente com Trump


Em apoio aos protestos contra a morte de George Floyd, em Minneapolis (EUA), o grupo hacker Anonymous, que estava inativado há seis anos, fez um pronunciamento pelo Twitter na madrugada deste domingo, 31, afirmando que irá divulgar os “muitos crimes” cometidos pela polícia americana. Na ocasião, o grupo ainda citou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Além disso, sugeriu uma investigação da ligação entre ele e o líder norte-americano Donald Trump.

“Algo que as pessoas devem olhar no Brasil é investigar se Bolsonaro tem algum vínculo com o traficante e estuprador de crianças John Casablancas, um associado próximo de Trump que atuou como proxy para os negócios de Trump no Brasil sob algum cargo obscuro e indefinido”, diz o texto.

John Casablancas foi um importante empresário da indústria da moda, criador da agência de modelos mais famosa do mundo, a Elite Models. Além disso, foi o responsável por alavancar modelos como Gisele Bündchen, Naomi Campbell, e Cindy Crawford. Ele morreu aos 70 anos vítima de câncer, em sua residência do Rio de Janeiro.

Conforme reportagem da Uol, em 2019, a modelo Shawna Lee contou aos autores do livro All The President’s Women: Donald Trump and the Making of a Predator [Todas as Mulheres do Presidente: Donald Trump e a Gênese de um Predador, em tradução livre], que em 1992, quando tinha apenas 14 anos de idade foi obrigada a dançar sensualmente em um iate para Trump e John Casablancas.

Recado à Trump

Por meio de vídeo, o Anonymous se dirigiu a Trump e entidades de justiça afirmando que “o mundo finalmente está começando a acordar”. Além disso, que as pessoas “estão ficando cada vez mais zangados toda vez que veem sangue desnecessariamente derramado sem consequências“. Após a divulgação, o site da polícia de Minneapolis ficou fora do ar. O assunto segue como um dos mais comentados no Twitter.

Mais famosos citados

Após citar Bolsonaro e o tráfico de crianças, o grupo divulgou mais nomes de famosos que poderiam estar ligados a esse tipo de crime, incluindo outro brasileiro, o ex-piloto de Fórmula 1 e empresário Pedro Paulo Diniz. Além disso, o Anonymous cita também a modelo Naomi Campbell, Charles Spencer (irmão da princesa Diana), dentre outros famosos.

“Garantimos que Trump e o príncipe Andrew tinham muito mais em comum que o golfe”Anonymous

“O engraçado de Naomi, ela só não estava ligada ao círculo interno de Epstein, mas também a traficante de crianças Jean Luc Brunel e o estuprador de crianças John Casablancas (outro parceiro de Trump e agente de modelagem da jovem Ivanka Trump).” – Anonymous

Fonte: Uol

Comente com Facebook