11 invenções que foram criadas por mulheres

Das fraldas descartáveis aos sistemas wireless, invenções mudaram o modo como vivemos e serviram de caminho para outras inovações.

Ao longo da história, inúmeras invenções transformaram o modo como vivemos e executamos tarefas. Em vários casos, as responsáveis pelo pioneirismo foram mulheres – que nem sempre tiveram seu trabalho reconhecido.

No início, uma das causas era a própria proibição de elas terem suas ideias registradas, como era o caso de alguns estados norte-americanos até meados dos séculos 19 e 20. Portanto, o cenário levou mulheres a registrar patentes em nome de seus maridos ou colegas de pesquisa. Em outros casos, pesquisadoras e inventoras tiveram suas ideias apropriadas por outras pessoas.

Apesar das barreiras, várias mulheres conseguiram entrar para a história por terem inventado itens que ainda hoje são populares ou essenciais em nossa vida. Abaixo, conheça 11 delas:

Sistema de comunicação sem fio

A atriz e inventora de origem austríaca Hedy Lamarr foi responsável por inventar, junto do compositor George Antheil, o primeiro sistema de comunicação sem fio – ou wireless. Além disso, invenção foi utilizada por tropas militares durante a Segunda Guerra Mundial e abriu caminho para a posterior invenção de tecnologias como GPS, WiFi e Bluetooth.

Limpador de para-brisa

A norte-americana Mary Anderson patenteou, no início dos anos 1900, o primeiro limpador de para-brisa para veículos. Na época, porém, empresas de manufatura não demonstraram interesse no sistema. Ele só passou a ser adotado após a patente registrada por Anderson expirar – por isso, ela não recebeu nenhum retorno financeiro pelo uso.

Filtro de café

No início do século 20, a alemã Melitta Bentz criou o primeiro filtro de café feito de papel. Portanto, a invenção foi patenteada e acabou dando origem à Melitta, uma grande empresa alemã que hoje comercializa diversos produtos relacionados ao café.

Orelhão

Nascida na China, mas naturalizada brasileira, a arquiteta Chu Ming Silveira inventou os protetores de telefones públicos, popularmente chamados de Orelhão, enquanto chefiava o Departamento de Engenharia da Companhia Telefônica Brasileira. Além disso, a invenção ainda chegou a outros países, como Peru, Colômbia e Angola.

O primeiro ‘Banco Imobiliário’

Em 1904, a designer de jogos norte-americana Lizzie Magie patenteou um jogo chamado The Landlord’s Game (“Jogo do Proprietário”), cuja proposta era demonstrar os efeitos devastadores do monopólio de terra. Anos depois, Charles Darrow venderia à empresa Parker Brothers uma versão muito semelhante do game, que ganhou o nome de Monopoly – hoje, um dos jogos de tabuleiro mais populares do mundo. Quando a verdadeira origem do jogo veio à tona, a companhia comprou a patente de Magie – mas o relançou com propostas diferentes das originais. No Brasil, o jogo ganhou o nome de Banco Imobiliário.

Corretivo líquido

Nos anos 50, a norte-americana Bette Nesmith Graham desenvolveu um corretivo líquido para facilitar sua própria rotina como secretária. O produto acabou se tornando popular e deu origem à marca Liquid Paper, fundada por ela e posteriormente vendida para a Gillette Corporation por US$ 47,5 milhões.

Sistema de monitoramento doméstico

A inventora afroamericana Marie Van Brittan Brown desenvolveu, junto com o marido, Albert Brown, o primeiro sistema de vigilância por vídeo para uso doméstico. A invenção incluía quatro câmeras, que podiam ser movimentadas e eram ligadas a um monitor, e foi patenteada em 1969.

Fralda descartável

Nos anos 40, ao costurar uma cortina de chuveiro a uma fralda de pano, a norte-americana Marion Donovan criou a primeira versão do que viria a ser a fralda descartável. Portanto, a invenção foi aperfeiçoada, mas acabou ignorada pelo mercado. Dez anos depois, sem creditar Donovan, Victor Mills se baseou na ideia para criar a Pampers.

Call center

Para evitar a sobrecarga do circuito de telefones da Bell Labs, onde era pesquisadora, a matemática norte-americana Erna Schneider Hoover inventou um sistema computadorizado que gerenciava as chamadas recebidas. A criação deu origem aos sistemas de call center que conhecemos hoje.

Algoritmo

A matemática inglesa Ada Lovelace é reconhecida por ter escrito, em meados de 1840, o primeiro algoritmo processado por uma máquina. Por seu trabalho, é reconhecida como a primeira programadora da história.

Fibra à prova de balas

Enquanto trabalhava na DuPont, a química norte-americana Stephanie Kwolek desenvolveu uma fibra que viria a ser conhecida como Kevlar. Por sua alta resistência, o material passou a ser utilizado em itens como coletes à prova de balas e até na construção de aviões. Apesar da autoria, Kwolek não lucrou com as patentes da invenção, que ficaram sob propriedade da empresa em que trabalhava.

Com informações de: G1

Comente com Facebook