Coveiro se recusa a trabalhar e família abre cova para enterrar criança em cemitério em Uruçuca

Coveiro disse à família que não faria enterro pois estaria há dois meses sem receber salário. Caso ocorreu na cidade de Uruçuca, no sul do estado.

Parentes de uma criança da cidade de Uruçuca denunciaram que tiveram que abrir a cova para enterrar a menina, porque o coveiro do cemitério do município do sul da Bahia se recusou a trabalhar. [Assista vídeo acima]

Conforme os familiares, Natasha Santos Carvalho estava internada com meningite e morreu na última sexta-feira (29). No sábado (30), quando a família tentou fazer o sepultamento, o cemitério estava fechado.

Um tio da criança relatou que procurou a funerária e o coveiro, mas o funcionário do cemitério disse que não iria trabalhar porque estava há dois meses sem salário.

A família de Natasha detalhou que conseguiu fazer com que o coveiro fosse ao cemitério, mas o homem disse que só poderia colocar a criança em uma gaveta, que ele não iria abrir uma cova.

Os parentes não queriam deixar a criança na gaveta e, por isso, decidiram fazer a escavação eles mesmo.

Por meio de nota, a prefeitura de Uruçuca informou que não compactua com a atitude do servidor que se negou a realizar o serviço. Informou ainda que já estão sendo tomadas todas as medidas necessárias para que caso semelhante não ocorra e que será aberto um processo administrativo para averiguação do fato.

A prefeitura, entretanto, não comentou a denúncia do servidor de que o salário dele estaria dois meses atrasado.

Comente com Facebook