Sociedade de Pediatria apoia reabrir escolas e alerta sobre depressão infantil

Bahia retoma aulas presenciais na rede estadual a partir de hoje

Em nota técnica divulgada nesta sexta (29), a  Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) defende a reabertura urgente das escolas, pede que autoridades governamentais – municipal, estadual e federal – somem esforços para proporcionar condições estruturais e sanitárias que possibilitem a retomada das unidades de ensino de forma segura e alerta para os impactos negativos no desenvolvimento infantil, observados desde o início da pandemia

Apesar das medidas de prevenção, durante o isolamento social, como organização do tempo dentro de casa, preservação das rotinas, diálogos frequentes com as crianças, alimentação adequada e atividades físicas, de acordo com com os pediatras, houve aumento considerável de casos de ansiedade, depressão e estresse entre crianças e adolescentes. O números de jovens que abandonaram os estudos também foi bastante relatado entre os pediatras. 

A mobilização das escolas para oferecer o ensino remoto foi uma solução para dar continuidade ao ano letivo, porém, os especialistas alertam sobre o uso necessário das telas dos computadores, tabletes e celulares. A internet e sua estabilidade também afetam a qualidade do estudo.

A consequência é ainda pior quando falamos das desigualdades sociais, e riscos importantes para os grupos mais vulneráveis, que só agravam sua situação na ausência das escolas em suas vidas. Para que o método fosse, de fato eficaz, professores e alunos necessitariam de capacitação, o que efetivamente não aconteceu, conforme citado nas análises.  

Diante desse cenário preocupante e os aspectos epidemiológicos, em que crianças e adolescentes representam menos do que 1% da mortalidade e respondem por 2-3% do total das internações, pois a maioria das crianças tem quadro leve ou assintomático, pediatras afirmam que ambientes pedagógicos devem ser definidos como serviços essenciais, seguindo o exemplo de países europeus em que as escolas foram as últimas a fecharem e as primeiras à retomarem as atividades. 

O documento cita que o Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) mencionou recentemente que menos de 5% dos casos de Covid-19 relatados na União Europeia (UE), Espaço Econômico Europeu (EEE) e Reino Unido são entre crianças e jovens com menos de 18 anos de idade e, quando diagnosticados com Covid-19, têm riscos muito menores de serem hospitalizados ou irem a óbito. 

Depois do longo período fechadas, a SBBP considera injustificável perder-se mais tempo para melhoria das condições estruturais e de processos para reabrir as unidades escolares, principalmente as públicas. Entretanto, as atividades escolares devem retornar com a garantia das condições adequadas, seguindo protocolos da vigilância em saúde, com monitoramento de casos e contatos. 

Veja as principais recomendações dos pediatras para um retorno ao ambiente escolar de forma saudável: 

 – Retorno escalonado dos estudantes e profissionais com planejamento de um sistema híbrido de ensino, com parte dos alunos e dos professores mantendo as atividades remotas, enquanto a outra parte recebe aulas e atividades presenciais. Pode haver revezamento de estudantes, tendo aulas presenciais em alguns dias da semana e remotas em outros. 

 – Planejamento atividades que favoreçam acolhimento emocional e observação do comportamento que os professores tenham treinamento para reconhecer e encaminhar de forma precoce crianças com risco de sofrimento psíquico ou com transtornos da saúde física e mental e que sejam definidas equipes de suporte psicológico. 

– Controle do fluxo de entrada e saída de alunos, familiares e profissionais, para evitar aglomeração nesses espaços. 

–  Horário diferenciado para cada turma.

 – Fazer exercícios práticos de como e quando lavar as mãos de forma correta com os alunos de modo periódico.

– Sanitização dos ambientes 

– Uso de máscaras

– Aferição da temperatura corporal na entrada

– Planejamento do uso de transporte escolar, seguindo as recomendações de distanciamento e higienização.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de CNN

Comente com Facebook