Dia dos Pais: profissionais de Porto Seguro se dividem no cuidado com pacientes, clientes e filhos

O Dia dos Pais é um momento importante para as famílias e uma oportunidade de estar junto, demonstrar o amor e a gratidão.

Mas, com a pandemia do novo coronavírus, as formas de demonstrar o afeto precisaram ser readaptadas, principalmente para as famílias onde o patriarca é profissional da saúde, ou atua com o público, e precisa dividir o cuidado entre os filhos em casa, os pacientes no local de trabalho, os clientes.

Este domingo (9) é o primeiro Dia dos Pais de Geovan Santos e Adriano Rosas, a data precisou ser marcada não pelos abraços, beijos e carinhos tradicionais da celebração, mas pela cuidado que, atualmente, é a maior prova de amor que o profissional pode dar ao seu filho.

“Durante essa Pandemia não estamos recebendo vistas. Ao chegar em casa quando preciso, troco a roupa antes de entrar em casa, sempre usando Álcool em Gel e lavando as mãos. Gael, apenas saiu de casa pra ir ao pediatra e no posto de saude fazer exame do pezinho.” Geovan Santos (Ligeirinho)

Geovan Santos (Ligeirinho)

“Sou condutor socorrista no Serviço de atendimento móvel de urgência (SAMU), Tenho uma filha de 10 aninhos, muito amorosa e carinhosa. Nessa época de pandemia tomo todos os cuidados antes de entrar em casa, tiro as botas o uniforme coloco direto para lavar e vou para o banho, nesse ano fui acometido do CoviD-19 e graças a Deus Ela não se contaminou, ninguém da família. Todos os dias é o sorriso e a alegria dela que me dá forças pra enfrentar os plantões horas agitados e outras tranquilos.” Victor Dias

Victor Dias

“Adoeci em julho, fiquei completamente isolado da família e da minha filha, com quem eu mais mantinha contato. Fiz o exame, testei positivo, preferi não arriscar, disse.

Aroaldo Lopes

“A gente sabia que seria complicado, está sendo um desafio imenso. Mas eu sei que, como técnico de enfermagem e humano, o sacrifício vale a pena. Muita gente depende desse nosso esforço, como técnico, médico, enfermeiro, fisioterapeuta. É um sacrifício, mas eu penso no exemplo que eu vou deixar para a minha filha”, afirmou Aroaldo, técnico de enfermagem.

“As medidas tomadas aqui em casa, uso do álcool em gel, máscara, ao chegar em casa, direto para o banheiro tomar banho.
Moramos em um apartamento onde o espaço é pequeno, dificultando o banho de sol. Pois ela precisa da vitamina D, esses são as principais cuidados que tivemos que aprender com a chegada do Covid-19. Então, parei as atividades, Saiu apenas para fazer o necessário. Não recebemos visitas, praticamente a Lunna não conhece a cidade onde, ela nasceu um mês após o surgimento do primeiro caso na região. Adriano Rosas, motorista de aplicativo.

Adriano Rosas

“Planejávamos muita coisa para o Dia dos Pais, mas agora está tudo complicado. Mas a gente não consegue fazer uma educação efetiva se não mostrar do próprio exemplo. Às vezes, para dar esse exemplo, temos que cortar da própria carne”, contou.

Dian Rocha

“Hoje é um dia gratificante em saber que tudo o que fazemos pelos nossos pequenos é reconhecido, todo cuidado que temos ao chegar em casa é uma situação tão difícil, vivemos em tempos de cuidados redobrados, saber que ao chegar em casa temos nossa semente nos esperando com um sorriso maravilhoso, um abraço acolhedor que nos enche de forças pra continuar na luta e ter a esperança de um futuro melhor pra nossos filhos. Dian Rocha, gari.

“Angustia, desespero, aflição diante dessa pandemia, pois sou pai e ser humano também, vejo que tudo que eu sonhava em conquistar, se resume em viver o momento com a família e filhos.
Infelizmente foi uma situação que pegou todo mundo de surpresa e precisamos nos readaptar as diversas situações e de várias formas, não apenas como lidamos com o outro no serviço, mas em casa também.” André Rodrigues, Enfermeiro.

O dia dos pais desse ano também vai ser especial para o pai do Mateus e do Gabriel. Depois de aproximadamente 30 dias internado na UPA do bairro Frei Calixto, e no Hospital Deputado Luís Eduardo Magalhães, 15 desses na UTI devido à Covid-19, J.S.O. de 48 anos, está recuperado e passará o Dia dos Pais com os filhos em casa.

“Foram dias angustiantes, mas sempre fui muito bem cuidado pelos profissionais do hospital, sempre muito atenciosos. Durante todo o tempo eu sentia muita falta de casa, da minha família e até nisso os profissionais me ajudaram fazendo chamada de vídeo sempre que possível. Esse Dia dos Pais, com certeza, vai ser bem especial e muito feliz e com um presente ainda melhor que é estar vivo e com meus filhos”. J. S. O. Comerciante.

Redação Namidia News

Comente com Facebook