Covid: Governo recomenda suspensão de vacinação em jovens sem comorbidades

Nesta quarta-feira (15), o Ministério da Saúde recomendou a suspensão da vacinação contra a Covid-19 em adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades.

Agora o recomendado é a vacinação nesta faixa etária somente em adolescentes que apresentem deficiência permanente, comorbidades ou os privados de liberdade.

No entanto, os estados de São Paulo e Rio de Janeiro não vão adeir à recomendação neste primeiro momento. O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) estão aguardando nota da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com a recomendação da agência.

O Conass, que participa das decisões sobre os rumos do Plano Nacional de Imunizações, divulgou nota afirmando que a “vacinação de todos os adolescentes é segura e será necessária”.

Isso porque a Anvisa autorizou o uso da vacina Cominarty (Pfizer/Biontech) nesta faixa etária, mesmo em pessoas sem comorbidades.

“A vacinação nessa faixa etária já é realizada nos EUA, Chile, Canadá, Israel, França, Itália, dentre outras nações. A medida cria insegurança e causa apreensão em milhões de adolescentes e famílias que esperam ver os seus filhos imunizados, além de professores que convivem com eles. Coibir a vacinação integral dos jovens de 12 a 17 anos é menosprezar o impacto da pandemia na vida deste público”, afirmou o governo de São Paulo.

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro informou em nota que  a vacinação dos adolescentes de 14 anos, já marcada para esta quinta e sexta-feira (16 e 17), será mantida.

Segundo informações, a suspensão do imunizante para essa faixa etária foi feito com base em um “possível evento adverso grave relacionado à vacina Pfizer em adolescente do estado de São Paulo”, mas o ofício não explica que evento adverso é este.

Por Redação Namidia News

Comente com Facebook