Covid-19: Candidata a vacina testada no Brasil é aprovada para uso emergencial na China, diz agência

Vacina

A CoronaVac é uma candidata a vacina contra a Covid-19 da chinesa Sinovac que está sendo testada no Brasil em estudo liderado pelo Instituto Butantan. Em julho, foi aprovado o uso emergencial dela na China, como parte de um programa do país asiático para vacinar grupos de alto risco, como profissionais médicos, conforme uma pessoa familiarizada com a situação.

Além disso, a China National Biotec Group (CNBG), uma unidade da gigante farmacêutica estatal China National Pharmaceutical Group (Sinopharm), também disse que obteve aprovação para uso emergencial para uma candidata a vacina contra o coronavírus em publicação na plataforma de mídia social WeChat no domingo.

A Sinopharm e o governo do Paraná possuem um acordo para que ocorram testes no Brasil de uma candidata a vacina da farmacêutica chinesa.

A CNBG tem duas candidatas a vacina na Fase 3 dos ensaios clínicos, a última antes do registro. Entretanto, ela não disse qual delas obteve aprovação para uso emergencial.

Potenciais vacinas

A China tem administrado vacinas experimentais contra o coronavírus em pessoas que pertencem a grupos de alto risco desde julho. Uma autoridade de saúde disse à mídia estatal que as autoridades podem considerar expandir modestamente o programa de uso emergencial. Isso será feito a fim de tentar evitar surtos durante o inverno e o outono do Hemisfério Norte.

Oficialmente, a China divulgou poucos detalhes sobre quais candidatas a vacinas foram aplicadas a pessoas de alto risco sob o programa de uso emergencial e quantas pessoas foram vacinadas.

A mídia estatal informou em junho, antes do programa emergencial, que funcionários de empresas estatais que viajam para o exterior tiveram permissão para tomar uma das duas vacinas desenvolvidas pelo CNBG, ao mesmo tempo que as Forças Armadas chinesas também aprovaram o uso da candidata a vacina da CanSino Biologics.

Sete potenciais vacinas contra o coronavírus estão em estágio avançado de testes ao redor do mundo e quatro delas são chinesas.

Mas até agora nenhuma vacina passou por essa fase de testes, que busca provar que ela é segura e eficaz. A aprovação dos órgãos reguladores para aplicação em massa normalmente exige essa condição. A Covid-19 já matou mais de 800 mil pessoas em todo o mundo.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de Reuters

Comente com Facebook