Coronavírus: mais de 5 mil casos são registrados nas últimas 24 horas na Bahia

Nas últimas 24 horas, foram registrados 5.025 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,8%) e 3.932 recuperados (+0,6%) na Bahia.

Dos 660.506 casos confirmados desde o início da pandemia, 631.606 já são considerados recuperados e 17.580 encontram-se ativos.

Pelo quinto dia consecutivo, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) registra o maior número de pacientes internados em UTIs Covid-19 desde o início da pandemia. São 915 pacientes adultos e pediátricos em estado grave ocupando leitos nas diversas regiões da Bahia.

O boletim epidemiológico desta terça-feira (23) também registra 66 mortes. Apesar de terem ocorrido em diversas datas, a confirmação e registro das mortes foram realizadas hoje.

Em virtude da elevação na taxa de ocupação de leitos de UTI em toda a Bahia, o governador Rui Costa determinou a ampliação do horário do toque de recolher. Até o domingo (28), a restrição será das 20h às 5h. A determinação visa provocar uma redução da taxa de crescimento da Covid-19 no estado.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.022.239 casos descartados e 152.847 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta terça (23). Na Bahia, 42.097 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Hoje foram registradas 66 mortes e o número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 11.320, representando uma letalidade de 1,71%. Dentre os óbitos, 56,63% ocorreram no sexo masculino e 43,37% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 55,24% corresponderam a parda, seguidos por branca com 20,35%, preta com 14,55%, amarela com 0,57%, indígena com 0,15% e não há informação em 9,13% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 70,50%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (74,43%).

A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19.

Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

Em Porto Seguro foram 15.644 casos de COVID-19, sendo 5.839 confirmados e 9.805 suspeitos, classificados de acordo com a sintomatologia clínica.

Hoje, 15.286 pessoas recuperadas, totalizando um percentual de 97,7% entre os suspeitos e confirmados de COVID-19, sendo 109 óbitos desde março/ 2020.

Detalhamento do dia

Casos novos do dia: 60
Internados: 13
Recuperados: 56
Aguardando resultado: 23

Total de leitos clínicos: 31

UPA Frei Calixto: 7 leitos
UPA Arraial d´Ajuda: 2 leitos
P.A Trancoso: 2 leitos
Hospital das Clínicas de Eunapolis: 20 leitos

Total de leitos UTI: 29

Hospital das Clínicas de Eunapolis: 20 leitos
Neuroccor : 09 leitos

Consideramos 236 casos em isolamento domiciliar, por meio de informação da vigilância epidemiológica do município, sendo casos monitorados com teste positivo acrescidos dos casos suspeitos do dia.

De acordo com o Ministério da Saúde (2020), o quadro clínico da COVID-19 é caracterizado inicialmente como uma síndrome gripal (SG), apresentando pelo menos dois (2) dos seguintes sinais e sintomas: febre (mesmo que referida), calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, diarréia, mialgia, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou gustativos, podendo ser diagnosticado através de investigação clínico-epidemiológica, além de uma correta anamnese e exame físico adequado ao paciente.

Os casos suspeitos e confirmados de COVID-19 podem ser classificados de acordo com os sinais e exames realizados sendo os critérios:

Clínico quando o paciente apresenta sinais clínicos típicos com síndrome gripal suspeita de COVID-19 (Ex: anosmia- perda de olfato e/ ou ageusia – perda do paladar).

Clinico-epidemiológico quando além de apresentar sinais clínicos compatíveis com síndrome gripal suspeita de COVID-19, o doente teve contato com caso confirmado.

Clinico-Imagem quando além de apresentar sinais clínicos compatíveis com síndrome gripal suspeita de COVID-19, tem imagem típica na tomografia computadorizada de tórax.

Laboratorial quando o doente com ou sem sintomas gripais, realiza algum exame para diagnóstico de COVID-19 tendo seu resultado positivo ou reagente.

Desde o dia 07/01/2021 o boletim epidemiológico municipal da COVID-19 foi atualizado incluindo novas informações substituindo a nomenclatura de Síndrome gripal e incluindo as várias formas de avaliação para incluir como casos suspeitos ou confirmados da COVID-19.

Comente com Facebook