Contrabando na fronteira com o Paraguai cresce 232%

Preso por contrabando
Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Em março, apreensões de mercadorias contrabandeadas do Paraguai aumentaram 232% em comparação ao mesmo período do ano passado. As organizações criminosas formadas por contrabandistas brasileiros e paraguaios utilizaram rotas clandestinas para driblar a fronteira que está fechada desde o início da quarentena feita com o intuito de conter a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Somente em março, foram apreendidos mais de U$ 11 milhões (equivalente a R$ 65 milhões) em mercadorias contrabandeadas. Em março de 2019 foram U$ 3,5 milhões (o que representou R$ 19,8 milhões, pela cotação do dólar).  

O volume do contrabando apreendido foi ainda maior do que todas as apreensões feitas no primeiro trimestre do ano passado. Cigarros, veículos e eletrônicos tiveram o maior volume de apreensão no período. Os dados são da Receita Federal e da Polícia Federal no Paraná.

Somente em cigarros foram apreendidos U$ 7.022.739,51, quase R$ 40 milhões. Isso corresponde a 59,55% de tudo que foi apreendido no mês. A quantidade de pacotes de cigarros aprendidos aumentou quase 4000%. Foram 563.475 mil aprendidos contra apenas 14.071 de março de 2019.

Apreensões de veículos ocuparam o segundo lugar na lista, com um valor somado de 1.707.911,98, que convertido em reais conforme a cotação do dólar hoje chega ao montante de R$ 9,5 milhões. Os produtos eletrônicos retirados das mãos dos contrabandistas foram calculados no valor U$ 844 mil, ou cerca de R$ 4.7 milhões.

Rotas clandestinas

Os criminosos utilizam os rios da região e a áreas da fronteira seca para contrabandear as mercadorias. Se delegado da Alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu, Paulo Bini, os contrabandistas sempre utilizam rotas clandestinas para atravessar com os produtos para o lado brasileiro.

“O aumento nesse período independe de fronteira fechada ou aberta. Muito pouco passa pelas pontes, aduanas onde tem fiscalização. Vem justamente pela água ou pela fronteira seca, no Mato Grosso do Sul, que é uma fronteira muito grande e o crime não para”, disse o delegado.

A fronteira entre Brasil e Paraguai está fechada deste o início da quarentena. Além disso, a ponte da amizade, principal corredor de pedestres por onde passam diariamente 100 mil pessoas em períodos normais, também está parada.

Apreensão de maconha cresce em abril

Em abril, a Polícia Federal apreendeu 12,1 toneladas de maconha na área da fronteira localizada na cidade de Guaíra, no oeste do Paraná. No mesmo período em 2019 o volume apreendido foi de 4,5 toneladas da droga, um aumento de 169%.

Em Guaíra, cidade que fica há 215 quilômetros de Foz do Iguaçu, a fronteira com o Paraguai, através do rio paraná que forma um extenso lago e facilita a ação dos criminosos, as apreensões têm sido maiores, segundo os dados da PF.

Na região, além de mercadorias, também há apreensão de drogas, armas e munições. De acordo com o delegado da PF em Guaíra, Júlio Fujiki, o aumento nas apreensões também é resultado da possível redução na quarentena e das operações policiais que tem se intensificado na fronteira.

“Essa atividade criminosa sempre gerou muito lucro para os contrabandistas e pelas apreensões, o que se percebe é que entre os meses de março e abril, principalmente na segunda quinzena de abril houve um aumento e que isso deve ter sido por conta do relaxamento da quarentena. Estamos realizando operações permanentes na fronteira através do Núcleo Especial de Polícia Marítima e do Núcleo de Operações”, disse Fujiki.

O Paraguai é o maior produtor da droga na América do Sul. Dessa forma, mesmo com o isolamento rígido adotado no país, os narcotraficantes não pararam com o cultivo.  Conforme a Senad – Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai, as operações para erradicação de cultivos e apreensão de maconha na fronteira com o Brasil também foram intensificadas.

Armas e munições

No total, foram apreendidos: 12.310 kg de maconha, 5,3 mil caixas de cigarros, 300 quilos de agrotóxicos, 13 caminhões. Além disso, foram apreendidos 27 veículos entre carros, vans e motos, 7 embarcações, 16 armas entre pistolas e fuzis e mais de 7,3 mil munições.

Conforme a Polícia Federal, a estrutura utilizada para o contrabando de cigarros, agrotóxicos e outros produtos também serve para o tráfico internacional de drogas, armas e munições.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de CNN

Comente com Facebook