Comitê debate novas medidas de combate à pandemia

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, da Câmara Arthur Lira e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, dão entrevista coletiva após a reunião do Comitê de Coordenação Nacional de Enfrentamento da Pandemia de Covid-19
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, da Câmara Arthur Lira e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, dão entrevista coletiva após a reunião do Comitê de Coordenação Nacional de Enfrentamento da Pandemia de Covid-19 (Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

A Reunião do Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento da Pandemia da Covid-19 contou com a presença do presidente da República Jair Bolsonaro, dos presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM/MG), da Câmara, Arthur Lira (PP/AL), e do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. O encontro aconteceu na manhã desta quarta-feira (31).

Depois da reunião, o grupo (exceto Bolsonaro) realizou um pronunciamento. Lá, eles destacaram as medidas debatidas durante a reunião, como aquelas feitas a fim de ampliar a aplicação de vacinas.

Ademais, o grupo também apontou o projeto aprovado pelo Senado nesta terça-feira (30), que prevê a contratação de novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com a participação da iniciativa privada.

Senado

Conforme o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, o único caminho para obter êxito no combate a pandemia é a soma de esforços, como define a iniciativa.

“Temos dois caminhos. Ou o da união, materializada nesta primeira reunião de hoje que se desdobrará em novas reuniões amiúde, entre todos esses personagens, ou o caminho do caos e ninguém quer o caminho do caos”, afirmou Pacheco.

Câmara

O presidente da Câmara, Arthur Lira, cobrou ao Ministério da Saúde um controle de dados mais rígido, a fim de centralizar ações para ampliar a cobertura da vacinação.

“É um controle importante sanitariamente, é um controle importante para que a população saiba essencialmente o nível de vacinação em que o Brasil se encontra”, disse Lira.

Saúde

O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, cuja gestão possui a confiança das duas casas, disse que a pasta está comprometida com práticas científicas sólidas que possam trazer melhorias nos resultados obtidos até o momento.

“Essas medidas visam reduzir a mortalidade hospitalar, mas visam, sobretudo, através de controle epidemiológico próprio, reduzir o número de casos que pressionam o nosso sistema de saúde”, apontou Queiroga.

“A campanha de vacinação ampla e ágil é o passaporte para o fim da pandemia e é esse o esforço que temos feito”, acrescentou o ministro.

Comitê contra Covid

Na última semana, foi instituído o comitê estratégico com o intuito de servir de instância para debates entre os Estados e os poderes da República na articulação de medidas contra a pandemia no Brasil.

Além disso, os envolvidos também devem apresentar soluções aos problemas com relação a questões econômicas, fiscais, sociais e de saúde que surgiram da atual crise. 

Conforme a iniciativa, acontecerão reuniões semanais com as autoridades a fim de redirecionar ou definir as ações de combate à Covid-19. Acima de tudo, a decisão tem como objetivo demonstrar a união entre os poderes quando o assunto é enfrentar a crise.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de Brasil 61

Comente com Facebook