Comandante da PM-BA descarta greve após morte de soldado

O comandante-geral da PM-BA, Paulo Coutinho
O comandante-geral da PM-BA, Paulo Coutinho (Foto: Fernando Vivas/GOVBA)

O comandante-geral da PM-BA, Paulo Coutinho, acredita que a greve convocada por alguns policiais militares não terá força. De acordo com o oficial, este segmento da sociedade logo vai entender a situação ocorrida neste domingo (28), no Farol da Barra, em Salvador, onde um soldado foi baleado após atirar para o alto e entrar em conflito com policiais, não resistindo aos ferimentos.

A corporação realizou uma coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (29), no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Nela, Coutinho ressaltou: “Eu entendo que isso é um segmento que não representa a instituição. A gente tem que ter bem claro que a instituição é muito maior do que tudo isso. Aqui nós estamos com o alto comando da corporação, com funcionamento claro de que estamos disponíveis pra servir e proteger e que manifestações de ordem política não cabem nesse momento, que é um momento de consternação de todos nós”.

O caso

No início da noite deste domingo (28), um policial militar foi baleado por colegas no Farol da Barra, em Salvador (BA). O soldado Wesley Soares,  integrante da corporação lotado na 72ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), desferiu disparos com um fuzil para o alto.

Após horas de negociações, o agente foi contido por equipes Batalhão de Choque, Esquadrão Águia, da 11ª CIPM, Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), além de integrantes da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), incluindo a Superintendência de Inteligência (SI).

Baleado durante uma troca de tiros, o PM foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ele não resistiu aos ferimentos.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de Bahia Notícias

Comente com Facebook