Sem resposta do poder público, moradores de Caraíva revoltados derrubam cerca que fechava rio

O vereador de Porto Seguro, Vinícius Parracho, publicou em seu Instagram na tarde desta quarta-feira (13), vídeos e fotos de um crime ambiental que aconteceu em Caraíva e que a população precisou intervir.

O vídeo mostra moradores da comunidade revoltados com o crime ambiental e com a demora do poder público em agir e resolveu por conta própria, arrancando uma cerca de dentro do rio Jambreiro, que fechava uma área de mangue.
Ainda segundo a denúncia, parte do mangue foi aterrado e o rio desviado, para que o empresário acusado do crime, pudesse explorar a área com festas.

Em conversa com o Namidia News, Vinicius disse que enviou ofício a todos os órgãos responsáveis mesmo antes da ocupação chegar ao ponto que chegou. “Denunciei essa ocupação a algum tempo a secretaria de meio ambiente, Inema, Ibama e Cippa. Antes de ficar assim. Mas sem resposta até o momento”, afirmou.

Área de preservação

O Código Florestal atual estabelece como áreas de preservação permanente (APPs) as florestas e demais formas de vegetação natural situadas às margens de lagos ou rios (perenes ou não); nos altos de morros; nas restingas e manguezais; nas encostas com declividade acentuada e nas bordas de tabuleiros ou chapadas com inclinação maior que 45º; e nas áreas em altitude superior a 1.800 metros, com qualquer cobertura vegetal.

Os limites das APPs às margens dos cursos d’água variam entre 30 metros e 500 metros, dependendo da largura de cada um, contados a partir do leito maior.

Por Redação Namidia News

Comente com Facebook