Mulheres do Bem: projeto ajuda mulheres que sofreram agressões em Porto Seguro

No atual contexto de pandemia do novo coronavírus, uma corrente de solidariedade às vítimas de Violência Doméstica e Familiar se formou em Porto Seguro.

O projeto “Mulheres do Bem” auxilia mulheres que sofreram agressões durante o período de isolamento social, oferecendo acolhimento/atendimento psicológico e social, orientação e encaminhamento jurídico à mulher em situação de violência, que devem proporcionar o atendimento e o acolhimento necessários à superação de situação de violência, contribuindo para o fortalecimento da mulher e o resgate de sua cidadania.

“A iniciativa de auxiliar a mulher vítima de violência doméstica e familiar surgiu por presenciar algumas amigas vivendo um relacionamento abusivo e ver que elas não sabiam que estavam sendo vítimas de agressão, chamei-as para uma conversa e mostrei a elas o que estava acontecendo, aí me bateu a preocupação, será que todas as mulheres sabem o que elas vivem?” Relata Jaqueline, fundadora do projeto.

“Durante o período em que estava auxiliando uma, surgiu outra amiga que sofria agressões físicas constantemente e ela veio me pedir ajuda até conseguirmos uma medida protetiva para ela.
Conversei com alguns amigos e expliquei o que eu desejava fazer, e todos abraçaram a causa.”

“Nós criamos uma página no Instagram e com menos de trinta dias, tivemos um pouco mais de mil mulheres de diversos lugares do país.”

Os relatos acima é da Jaqueline Santos, fundadora do projeto que tem um pouco mais de um mês e já auxiliou mais de 150 mulheres através das redes sociais e WhatsApp.

Jaqueline Santos

Como vocês auxiliam?

Elas nos procuram através das redes sociais, e nós voluntárias conversamos e fazemos uma “triagem “ e encaminhamos para o setor jurídico ou o auxílio das psicólogas.

Dr. Lorran Monteiro

“Todos os projetos que envolvem relacionamentos abusivos e crimes relacionados à lei maria da penha merecem uma abordagem especial. Infelizmente a falta de informação, o machismo, conceitos formados e a vergonha, inibem muitas mulheres a procurar ajuda. A lei Brasileira esta cada vez mais completa na parte de legislação o atual governo federal já sancionou 14 novas leis sobre o tema. Inclusive sobre a reparação de danos, levando o agressor a centro de educação e de reabilitação e acompanhamento psicossocial, sem prejuízo as medidas criminais cabíveis. Precisamos estimular mais a atenção local do governo municipal e estadual, para criar casas de abrigo e projetos de incentivo ao emprego para mulheres vítimas de violência. Ficamos à disposição para orientar e ajudar no que for necessário.” Relata o advogado Lorran Monteiro.

O projeto também conta com a ajuda da digital influencie Gisllene Patrícia, que abraçou a causa e ajuda na divulgação do Mulheres do bem, ela é responsável por um belíssimo trabalho em prol das mulheres.

Gisllene Patrícia


“Muitas querem apenas desabafar, já auxiliamos mulheres que nesta conversa elas descobriram que estavam em um relacionamento abusivo, e até as que pensavam em suicídio e matar os filhos.” Relata Jaqueline Santos

Drª Jaciely Guimarães

O projeto conta com valorosos parceiros, além do auxílio do Oitavo Batalhão da Polícia Militar, dispomos de psicólogos, advogados, terapeutas, Coach emocional e ajuda fundamental da Drª Michelle Quadros Patrício, juíza da 2ª vara criminal de Porto Seguro e do deputado estadual Jânio Natal, conseguindo medidas protetivas, garantindo a segurança das vítimas.


Drª Kerollen psicóloga
Drª Graziela psicóloga
Srª Laís psicóloga
Dr Lourran Monteiro advogado
Drª Jaciele Guimarães advogada
Neia, Débora, Gessica, Júli, as voluntárias que realizam a triagem, Lays Vale Terapeuta, Thiago Coach emocional.

Contato: (73) 99810-1451 WhatsApp

Instagram:

https://instagram.com/mulheresdobemoficial?igshid=q3nsuygrwbcm

Redação : Namidia News

Comente com Facebook