Mulher que levou tapa de PM em Porto Seguro o denuncia por agressão

A mulher que levou um tapa no rosto de um policial militar no bairro Vila Valdete, em Porto Seguro, denunciou o agente por agressão. O caso aconteceu na noite do último sábado (22), e o registro foi feito na delegacia nesta segunda-feira (24).

Além da mulher, a irmã dela – que foi levada para a delegacia com a acusação de desacato – também registrou queixa. As duas passaram por exame de corpo de delito e serão ouvidas na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) nesta terça-feira (25).

Uma testemunha filmou toda a situação com um celular e é possível ver parte da confusão.

Nas imagens, o policial grita com as pessoas, que também exclamam palavras a ele. A mulher o chama e diz: “Agora atira. Manda ver, vai na fé”. Logo em seguida, o PM se aproxima dela.

O agente então aponta o dedo para a mulher e diz: “Eu meto o dedo na sua cara”. A mulher empurra a mão do policial, e repentinamente recebe um tapa no rosto.

Em seguida, ela tenta reagir, mas as testemunhas evitam. Nenhum dos dois teve nome divulgado.

Depois do caso, outras pessoas que estavam no local defenderam a mulher. A irmã dela estava no meio desse grupo e foi levada para a delegacia. Segundo a PM, ela também danificou a viatura, mas as imagens não registraram a situação.

O que diz a PM

Conforme a Polícia Militar, a viatura foi ao bairro atender uma denúncia de perturbação do sossego público. Ao chegar na região, as mulheres que estavam com som alto teriam desacatado os policiais. A PM disse ainda que investigará o caso e ouvirá os envolvidos.

Ainda em nota, afirmou que “não compactua com condutas violentas e arbitrárias praticadas por qualquer um dos seus integrantes, e que tais fatos, quando ocorrem, são tomados por ações individuais e estão em total desacordo com os valores da Corporação.”

“Em caso de, após a devida apuração, restar comprovada a transgressão ou crime por parte de Policiais Militares, aqueles que cometeram a ação serão punidos, conforme as sanções previstas no nosso ordenamento jurídico.”, disse a Polícia Militar.

Fonte: Da Redação Namidia News com informações de g1