Guardas Civis Municipais de Porto Seguro efetuam plantões internamente após reivindicações

O sindicato dos Guardas Municipais do estado da Bahia-SINDGUARDAS-BA, encaminhou na última quinta-feira (20), através de ofício, a prefeitura municipal de Porto Seguro, em que os Guardas Civis Municipais, efetuarão seus plantões no comando da GCM.

Em manifestação pela falta de condições de trabalho, o não cumprimento das pautas de reivindicações, pelo veto as emendas na lei do Guarda Civil Municipal, falta de valorização profissional, o adiamento da votação do projeto, na Câmara de Vereadores de Porto Seguro, que regulamenta a profissão e benefícios, já garantidos por Lei Federal.

De acordo informações do presidente do sindicato dos guardas civis do estado da Bahia e secretário de relações em segurança pública da força sindical Bahia Pedro de Oliveira, foi convocada uma nova sessão de imediato, para a próxima terça-feira (25), quando é esperado o retorno de parte de vereadores, que estiveram ausentes, devido a pandemia do novo coronavírus.

Presidente do SINDIGUARDAS-BA Pedro de Oliveira


“Os guardas necessitam de um posto insalubre, curso de formação, curso de tiro com avaliação psicológica, curso para atendimento ao turista. Solicitamos EPI’s, que são fundamentais para o desenvolvimento das funções, coletes balísticos, algemas, placas de colete, infelizmente todos os equipamentos que a guarda utiliza, nenhum foi fornecido pela prefeitura. O que estamos reivindicando é em prol da população, para podermos servi-la com excelência.” Afirma Pedro de Oliveira.

De acordo o sindicato 130 guardas atuam no município, prestando um serviço de grande valia para os portosegurenses, através de patrulhamento preventivo pelas ruas do município.

A Lei nº 13.022 (Lei de criação e regulamentação da Guarda Civil Municipal), que ficou conhecida como Estatuto das Guardas Municipais que prevê no Artigo 3o – São princípios mínimos de atuação das guardas municipais: I – proteção dos direitos humanos fundamentais, do exercício da cidadania e das liberdades públicas; II – preservação da vida, redução do sofrimento e diminuição das perdas; III – patrulhamento preventivo; IV – compromisso com a evolução social da comunidade; e V – uso progressivo da força.

O presidente Pedro de Oliveira, pede apoio aos vereadores da cidade de Porto Seguro, para que os mesmos venham dar apoio aos Guardas Civis Municipais, onde há um projeto da Guarda Civil que foi votado naquele parlamento.
Quando o mesmo foi encaminhado para o governo Municipal o mesmo vetou as emendas que foram implementadas no referido projeto, solicitamos apoio dos Ilustres vereadores dessa cidade.
Porto Seguro sendo a Capital do descobrimento do Brasil, já deveria ter há muito tempo uma Guarda Civil de Excelência, mas ainda é tempo, pois um folha só cai quando Deus permite. Contamos com vocês! O destino da GCM está nas suas mãos. Um abraço e saudações em Azul Marinho!
Pedro de Oliveira, presidente do Sindguardas-BA e Secretário de relações em Segurança Pública da Força Sindical Bahia.

Redação Namidia News, com informações SINDGUARDAS-BA

Comente com Facebook