A incoerente lei de Jânio Natal em Porto Seguro: Ônibus de turismo pode, carga e descarga não

O prefeito de Porto Seguro, Jânio Natal, junto com a Câmara de Vereadores, sancionou a lei n⁰ 1711/21, que determina que o horário de carga e descarga em Porto Seguro, Arraial d’Ajuda e Trancoso seja das 23 horas às 9 da manhã.

A lei foi sancionada no dia 26 de novembro de 2021, mas as placas foram instaladas pela cidade neste fim de semana.

A determinação pode causar um caos no abastecimento da cidade e encarecer ainda mais os produtos, já que os empresários terão que pagar hora extra para funcionários.

“A medida é descabida e irresponsável, imagine como os caminhões que vêm trazer produtos no mercado e precisam seguir viagem para outras cidades vão ter que fazer?”, reclama um empresário dono de supermercado no centro.

O prefeito Jânio Natal mais uma vez não ouviu a população e os empresários, tomando uma decisão unilateral.

Não foi levado em consideração o custo, que vai aumentar muito, com horas extras de funcionários e motoristas; além do desabastecimento, já que muitas empresas já sinalizaram que não vão efetuar entregas na cidade.

Outro questionamento é sobre como a prefeitura vai fazer o controle dos caminhões que passam por Porto Seguro com destino a Cabrália ou Belmonte.

Lei falha

Enquanto proíbe o trânsito de caminhões durante o dia na cidade, a lei sancionada pelo prefeito deixa os ônibus de turismo circularem livremente.

“Os grandes ônibus sim, prejudicam o trânsito na cidade e nesses o prefeito fez vista grossa”, desabafou o empresário, que pediu para não ter o nome divulgado para não sofrer perseguição.

A lei não especifica tamanho de veículo, nem o tipo de carga. Ou seja, inclui bebidas, combustíveis, gêneros alimentícios, dentre outros.

O mínimo que se espera é que antes da lei entrar realmente em vigor, a prefeitura explique como vai funcionar de fato.

Por mais que atrapalhem o trânsito em ruas do Centro de Porto Seguro, Arraial e Trancoso é preciso pensar como vai funcionar na prática.

Da Redação Namidia News

Comente com Facebook