Dia da infância – Santa Cruz Cabrália programa ‘primeira infância’ atende 150 famílias

O reconhecimento de que os primeiros mil dias de vida (compreendendo a gestação e os dois primeiros anos de vida) representam uma janela única de oportunidade para o desenvolvimento neurológico, cognitivo, psicomotor e emocional das crianças.

24 de agosto é o Dia da Infância. Esta data foi criada pela UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) com a finalidade de promover uma reflexão sobre as condições de vida das crianças de todo o mundo. No Brasil, segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), são consideradas crianças as pessoas com até doze anos de idade incompletos.

A lei garante ainda que essa população deve ter seus direitos assegurados e as oportunidades necessárias para o seu pleno desenvolvimento. A Declaração Universal dos Direitos das Crianças diz que toda a criança tem direito a alimentação, educação, lazer, liberdade, um ambiente familiar e saúde adequados. Elas também devem ser protegidas da discriminação, exploração, violência e negligência.Porém nem sempre a realidade é assim, muitas crianças do Brasil e do mundo sofrem de algum tipo de violência. Mesmo o país tendo um importante avanço com o Marco Legal da Primeira Infância (Lei nº13.257/2016), que trouxe princípios e diretrizes para a formulação e implementação de políticas públicas voltadas a crianças de até seis anos de idade.

 O reconhecimento de que os primeiros mil dias de vida (compreendendo a gestação e os dois primeiros anos de vida) representam uma janela única de oportunidade para o desenvolvimento neurológico, cognitivo, psicomotor e emocional das crianças, fez com que esse período da vida do ser humano fosse tratado com mais cuidado.

O exemplo de Santa Cruz Cabrália o programa primeira infância no SUAS, segundo a supervisora Najara Lopes,  atende cerca de 150 famílias com crianças em situação de vulnerabilidade. Imagem PIXBAY

A principal política publica do governo federal é o primeira infância, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social, que monitora as ações como membro do Comitê Gestor do Programa Criança Feliz.

Em nossa região temos o exemplo de Santa Cruz Cabrália o programa primeira infância no SUAS, segundo a supervisora Najara Lopes,  atende cerca de 150 famílias com crianças em situação de vulnerabilidade inscritas no cadastro único/bolsa família, na faixa etária de 0 a 03 anos, com visitas semanais, visando o fortalecimento de vínculos e desenvolvimento infantil, nos diversos territórios do município. Nesse momento de pandemia a equipe tenho realizado o atendimento de maneira remota, disponibilizando material socioeducativo trazendo orientações sobre os cuidados que se deve ter em tempos de pandemia.

A principal meta é fortalecer os vínculos familiares e comunitários, criando assim um ambiente propício para o desenvolvimento pleno da criança. A conta é simples. Uma primeira infância com cuidados, amor, estímulo e interação pavimenta o caminho para que a criança aproveite todo seu potencial. Nasce um adulto mais saudável e equilibrado. E floresce uma sociedade com os mesmos valores.

Da redação

Comente com Facebook