Secretários de Saúde do Nordeste estarrecidos com o pronunciamento de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em pronunciamento na noite desta terça-feira (24), transmitido em cadeia de rádio e TV, provocou a ira dos secretários de Saúde do Nordeste.

Em seu pronunciamento, Bolsonaro, voltou a se referir ao coronavírus, como uma “gripezinha” e criticou medidas de isolamento social adotadas pelos governos estaduais no intuito de evitar a disseminação do vírus no País.

Bolsonaro em pronunciamento na noite desta terça-feira dia 24

Secretários de saúde reunidos

Os secretários de Saúde do Nordeste em carta aberta disseram que assistiram “estarrecidos” ao discurso, no qual o presidente da República “desfaz todo o esforço e nega todas as recomendações para combate à pandemia do coronavírus”.

No documento, disseram ter recebido as colocações com espanto e frisaram o desejo de não politizar o problema, uma vez que “já temos dificuldades demais para enfrentar.

*A carta*

Assinado por secretários todos os estados da região, o texto ressalta que os gestores percebem, “com espanto”, os “graves desencontros entre o pronunciamento do presidente e as diretrizes cotidianas do Ministério da Saúde”. Na carta, os gestores afirmam: “Esta fala atrapalha não só o ministro, mas todos nós!”

Ainda de acordo com a carta, os secretários de saúde dizem que “não é nosso desejo politizar esse problema. Já temos dificuldades demais pra enfrentar. Não podemos cometer esse erro.”.

*Consciência da crise*

Os secretários dizem, ainda, que têm consciência de que será preciso enfrentar uma grave recessão econômica. “Mas o que nos cabe lidar diretamente é a grave crise sanitária”, declaram.

Além disso, os gestores afirmam que vão continuar trabalhando. “Não nos parece que a posição exposta pelo Presidente seja a do Ministério da Saúde, que tem se conduzido tecnicamente”, afirmam.

O Presidente e a máscara

Gripezinha

Na noite desta terça, o presidente contrariou o que especialistas e autoridades sanitárias do país e do mundo inteiro vêm pregando e criticou o pedido para que todas aqueles que possam fiquem em casa. Bolsonaro também culpou os meios de comunicação por espalharem, segundo ele, uma sensação de “pavor”

Ele também disse que, se contrair o vírus, não pegará mais do que uma “gripezinha”. Durante o pronunciamento foram registrados panelaços em várias cidades como Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. Este foi o oitavo dia consecutivo de manifestações contra o presidente

*Veja a carta na íntegra*

Assistimos estarrecidos ao pronunciamento em cadeia nacional do Presidente Jair Bolsonaro, onde desfaz todo o esforço e nega todas as recomendações para combate à pandemia do coronavírus.

Não é nosso desejo politizar esse problema. Já temos dificuldades demais pra enfrentar. Não podemos cometer esse erro. Vamos continuar fazendo nosso trabalho. Não nos parece que a posição exposta pelo Presidente seja a do Ministério da Saúde, que tem se conduzido tecnicamente.

Percebemos, com espanto, os graves desencontros entre o pronunciamento do Presidente e as diretrizes cotidianas do Ministério da Saúde. Esta fala atrapalha não só o ministro, mas todos nós!

Sabemos que iremos enfrentar uma grave recessão econômica, mas o que nos cabe lidar diretamente é a grave crise sanitária.

Vamos seguir tocando nossas vidas com decisões baseadas em evidências científicas, seguindo exemplos bem sucedidos ao redor do mundo.

A grande maioria dos países do mundo, ocidentais e orientais, já firmaram seu curso no combate ao vírus e é este curso que o Nordeste Brasileiro seguirá.

Que Deus abençoe cada um de nós que pouco temos dormido. Que Deus nos abençoe!

Redação Namidia News

Comente com Facebook