“Se acharem que devo vacinar, vacino”, diz Bolsonaro

No último sábado (3), o presidente Jair Bolsonaro levantou a possibilidade de se vacinar contra Covid-19.

Depois de ter dito que não se vacinaria e ter descredibilizado os imunizantes, Bolsonaro muda o discurso.

“Já estou imunizado com o vírus e se acharem que devo vacinar, vacino, não tem problema nenhum. Mas acho que essa vacina minha tem que ser dada para alguém que não contraiu o vírus e tem risco muito, mas muito maior que o meu. Da minha parte, não tenho problema nenhum de buscar um posto de saúde já que entrou a minha faixa etária e me vacinar”, disse a jornalistas.

Na última sexta-feira (2), segundo informações, o presidente informou ao Ministério da Saúde que pretendia se vacinar, pois teve início a vacinação de pessoas com a idade dele. No entanto, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, negou que eles tivessem conversado sobre o assunto.

Na última quinta-feira (1º), em live semanal, o presidente disse que ainda decidirá se vai se vacinar contra covid-19, e que a decisão será tomada depois que toda a população brasileira for imunizada. “Está uma discussão agora se eu vou me vacinar ou não vou me vacinar. Eu vou decidir. O que eu acho? Eu já contraí o vírus. Depois que o último brasileiro for vacinado, se tiver sobrando uma vacina, daí eu vou decidir se me vacino ou não. Esse é o exemplo que um chefe tem que dar. Igual no quartel. Geralmente o comandante é o último a se servir. É o que dá exemplo a todos”, afirmou.

Além disso, Bolsonaro começou a usar máscara de proteção em aparições públicas.

Em dezembro do ano passado, por exemplo, durante solenidade do governo federal em Porto Seguro (BA), ele afirmou: “Eu não vou tomar (a vacina). Alguns falam que eu estou dando um péssimo exemplo. Ô imbecil, ô idiota. Eu já tive o vírus e eu já tenho os anticorpos. Para que tomar vacina de novo?”.

Fonte: Namidia News, com informações de Panorama Farmacêutico.

Comente com Facebook